• Empresas
  • Salários
  • Entrevistas
  • Vagas

Vaga de Operador De Ccom I
Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro - Galeão em Rio de Janeiro - RJ

Descrição da Vaga

Operador De Ccom I - Atendimento De Manutenção

Descrição

  1. Área e especialização profissional: Construção, Manutenção - Manutenção e Instalações
  2. Nível hierárquico: Operacional
  3. Local de trabalho: Rio de Janeiro, RJ
  4. Efetuar o registro de chamados no sistema de ativos do aeroporto;
  5. Acionar as equipes de campo no agilidade para solução de problemas;
  6. Acompanhamento das atividades de campo;
  7. Liberação de serviços com alinhamento da operação aeroportuária;
  8. Elaboração e análise de relatórios;
  9. Operar os sistemas de supervisão e controle do aeroporto;
  10. Implantar melhorias contínuas, além de auxiliar em projetos com objetivo de otimizar o desempenho da área;

Exigências

  1. Escolaridade Mínima: Curso Técnico
  2. Aplicações de Escritório: Microsoft Excel, Microsoft PowerPoint, Microsoft Word

Benefícios adicionais

  1. Assistência médica, Assistência odontológica, Auxílio creche, Bônus por resultado, Estacionamento, Participação nos lucros, Previdência Privada, Seguro de Vida, Vale-alimentação, Vale-refeição, Vale-transporte
  • Título da vaga Operador De Ccom I - Atendimento De Manutenção
  • Empresa RIO Galeão

Seguir esta empresa
* Jornada Período Integral
* Tipo de contrato Efetivo – CLT
* Salário A combinar
* Localidade Rio de Janeiro, RJ

Leia mais

Avaliações da Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro - Galeão


Satisfação geral dos funcionários

2.67
  • Remuneração e benefícios
    3.33
  • Oportunidade de carreira
    2.67
  • Cultura da empresa
    2.33
  • Qualidade de vida
    2.67

Recomendam a empresa a um amigo



  • Há aproximadamente 2 meses

    Oportunidade de aprender e usar de trampolim para o mercado profissional.

    Assistente de Operações IEx-funcionário, saiu em 2018

    Rio de Janeiro, RJ


    Prós: A empresa tem ótimos benefícios, boa infraestrutura e salário acima da média de mercado. Para os jovens, é uma oportunidade para aprender o que fazer e o que não fazer no ambiente profissional, mas o momento atual dá empresa é propício para profissionais experientes, que procuram um "porto seguro" e não estão atrás de grandes desafios.

    Contras: Gestão burocrática, ineficaz, clima organizacional pesado, "coleguismo" e "indicação" sobrepõe a meritocracia, que não existe na empresa. Já são 4 anos de concessão e a empresa não tem objetivos claros e alcançáveis. Quem quer crescer, encontra um monte de barreiras por conta da gestão engessada, que não avalia o profissional pelo que ele entregou, entrega e pode entregar. Em 99% dos casos, só é promovido quem não faz nada para isso ou é amigo/parente de algum líder. Infelizmente a cultura organizacional não vingou.

    Conselhos para presidência: Realize uma pesquisa de satisfação e vai constatar que tudo que escrevi é verdade. O "espírito de servir" não existe mais, ninguém acredita mais nos objetivos da empresa, e se quem rema nao está mais disposto, corre-se um grande risco pro barco naufragar. Implante uma política eficaz de avaliação de performance, promova seus funcionários por mérito, descentralize e desburocratize os processos na empresa, colher mil assonstu para se processar uma nota fiscal não cabe mais no mundo corporativo. Vocês tem a faca e o queijo na mão.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há aproximadamente 2 meses

    Meritocracia esquisita

    AssistenteEx-funcionário, saiu em 2017

    Rio de Janeiro, RJ


    Prós: Os colegas de trabalho são esforçados e competentes. Com poucas exceções, a equipe é bem montada e diversa e são companheiros pra todas as horas.

    Contras: Uma pena os funcionários não serem reconhecidos por suas competências e, sim, pela tal da "meritocracia", que cria situações como a promoção de pessoas que mal sabem falar Português que, no entanto, lidera a equipe de atendimento a estrangeiros na empresa. Ou a colega que usa régua para medir o tamanho de uma célula de Excel que foi promovida a chefia do setor onde trabalha. Ou mesmo esteticista que vira líder num setor da segurança do aeroporto. É uma meritocracia bagunçada.

    Recomenda a empresa: Não