• Empresas
  • Salários
  • Entrevistas
  • Vagas

Vaga de Assistente de Tráfego
Grupo RAI em São Paulo - SP

Descrição da Vaga

Assistente de Tráfego

DESCRIÇÃO

Vivência em tráfego em agência de publicidade no acompanhamento e validação de briefings, suporte a organização dos jobs da agência, gerenciamento de entregas entre criação off/on e atendimento; Domínio de word, exel e power point; Entendimento sobre orçamento de esforço e qualificação de recursos por perfil; Cronogramas de campanhas; Organização, negociação e senso crítico.

REQUISITOS

  • Curso superior cursando ou completo em propaganda e marketing
  • Experiência relevante e extensa
Leia mais

Avaliações da Grupo RAI


Satisfação geral dos funcionários

2.70
  • Remuneração e benefícios
    2.50
  • Oportunidade de carreira
    2.10
  • Cultura da empresa
    2.60
  • Qualidade de vida
    2.40

Recomendam a empresa a um amigo



  • Há 4 dias

    Muito tóxica/agência do passado

    DesignerEx-funcionário, saiu em 2019

    São Paulo, SP


    Prós: O melhor é o relacionamento entre os funcionários "chão de fábrica", pessoal realmente se ajuda e você faz amizades, isso é resultado de trabalhar em um lugar estressante, as pessoas se apoiam pra conseguir ter uma boa experiência.

    Contras: A experiência de trabalho mais tóxica da minha vida, esse lugar é um buraco negro. Desrespeito e descaso com colaboradores, 99% dos gestores completamente ultrapassados e mais preocupados em manter o próprio poder do que fazer a equipe crescer, pra eles a equipe evoluir se torna uma ameaça de exposição do quanto são arcaicos e despreparados para um cargo de liderança. Colaboradores são vistos apenas como uma ferramenta braçal e a norma é não levantar questionamento nenhum, mesmo que seja para melhorar os processos de trabalho que ainda tem cara dos anos 90. Hierarquia agressiva, ambiente nada propício à criatividade e inovação pois a cultura da empresa é de tolerancia zero aos erros e enxergam vulnerabilidade como fraqueza, zero empatia, cultura completamente ultrapassada, muuuuuuuuito tóxica eu ja disse né? Dono e gestores não fazem idéia do que é um ambiente/processo colaborativo, ou se sabem não existe esforço nenhum para implementar isso na empresa. Muito machismo, muito preconceito. Não existe nenhum suporte para o desenvolvimento dos colaboradores na empresa, nenhum suporte para desenvolvimento de lideranças, e não existe nenhum líder na empresa (líder de verdade mesmo, sabe, aquele que motiva, que colabora pro crescimento da equipe, que se envolve etc) Perfis agressivos são exaltados, enquanto perfis mais humanos são vistos como fracos (aliás a frase "A Rai é para os fortes" é repetida la dentro como se aguentar abusos calado fosse sinal de qualidade. Na verdade a preferência é por funcionários sem senso crítico e que apenas cumpram ordens). Há quem diga que a rotatividade anual da empresa é de 75%, e que eles perdem muitos talentos todos os semestres por conta da cultura da empresa, que é baseada totalmente no temperamento nada empático do dono, esse de quem na minha segunda semana na empresa escutei gritar que um funcionário tinha que morrer, só porque ele não gostou de um layout (é nesse nível mesmo). Contratam pessoas por conta de seus talentos, mas quando se está la dentro vc é posto pra trabalhar de forma antiquada e sem poder questionar ou propor nada, e esperam que você chegue aos mesmos resultados que apresenta no portfolio, que foi construído com experiências completamente diferentes, não existe nenhum interesse em absorver algo que você possa trazer de novo, em escutar do colaborador qual a experiência vivida e se tem alguma sugestão de melhoria, quem tenta fazer isso já é instruído a ficar calado pelos próprios gestores. A empresa não vê de forma alguma que o resultado do trabalho é soma entre colaborador+empresa, por isso não se admite que o ambiente e a cultura tem sua parcela de culpa nos resultados, a culpa fica 100% nas costas do colaborador, exatamente por isso demitem funcionário como se estivessem trocando de roupa, e depois o dono fica chocado quando vê um ex-funcionários mandando muito bem em outro lugar. Aliás a visão do dono é de que a Rai é um dos melhores lugares do mundo pra se trabalhar, mesmo com a péssima fama da agencia entre profissionais (descobri que tem até canal de vaga que se recusa a anunciar vagas da Rai pela péssima reputação de experiência para colaboradores) Quando um dono tem essa postura ele está completamente blindado e cego para os reais problemas da empresa, muito ego e zero empatia rodeado de gestores que sabem que se saírem de lá não terão o mesmo status em outro lugar. É uma soma incrível de coisas erradas. Não adianta ter uma fundação beneficente para gerar uma boa imagem para fora ou sortear viagens na festa de fim de ano, ou colocar displays de mesa e cartazes pela empresa com frases motivacionais, se a imagem interna e a forma como agem com quem está trabalhando na empresa é lamentável e nada saudável. Pra quem for trabalhar na Rai, se estiver precisando da grana e for a única opção, vá, mas vá sabendo do tipo de lugar que é e continue procurando por outras oportunidades. Sim você vai encontrar pessoas incríveis la dentro, e no início vai parecer que tudo isso aqui descrito é exagero... mas o tempo la dentro vai te mostrar. A Rai não vale seu esforço, seu talento e nem a sua saúde física ou mental.

    Conselhos para presidência: Pelo que viví alí, não acredito que a presidência realmente se interesse pelos conselhos ou opiniões dos colaboradores... Mas se é pra falar aqui seria esse: Ganhar muito dinheiro não é a única métrica de sucesso que existe no mundo, vários exemplos do que existe de pior na humanidade também ganham muito dinheiro. Espero que um dia você aprenda a tratar pessoas como pessoas, pelo bem de quem está trabalhando para você, e acredite isso vai ser bom pra você também. Entenda que o mundo e o mercado estão em constante evolução, a sua figura hoje é o exemplo perfeito do que é um perfil do passado, um chefe (não um líder) que é extremamente centralizador, apoiado na cultura do medo e do assédio moral, autoritário ao extremo, desmoraliza constantemente colaboradores, procura culpados, manda ao invés de orientar, não confia nos colaboradores, acredita e fala para seus colaboradores que é melhor que todos eles. Evoluir é necessário.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 2 meses

    Amiente instável, desestabilizado e tóxico.

    Ex-funcionário, saiu em 2018

    São Paulo, SP


    Prós: Dinâmica, com ambiente desafiador, acessibilidade ao corpo de direção, diversidade de clientes que permite ganhar experiência com diversos segmentos.

    Contras: Gestão péssima, clima de pessoas horrível, pressão, choros pela agência, rotatividade surreal por conta do ambiente tóxico, gestores que não possuem a mínima ideia do que estão fazendo, porém estão lá por ser parente de alguém.

    Recomenda a empresa: Não