Love Mondays


Vaga de Analista de inteligência de mercado
Cultura Inglesa em Rio de Janeiro - RJ

Descrição da Vaga

Analista de inteligência de mercado

Buscamos profissionais para atuarem com as seguintes responsabilidades:
* Acompanhamento dos indicadores da área;
* Preparação de relatórios de acompanhamento;
* Responsável pela elaboração de orçamento e acompanhamento;
* Precificação;
* Análise da concorrência. Perfil:
* Ensino superior em Administração, Economia, Marketing, Engenharias e áreas afins;
* Domínio do Pacote Office;
* Bom relacionamento interpessoal e dinamismo. Local de trabalho: Botafogo.

Leia mais

Avaliações da Cultura Inglesa


Satisfação geral dos funcionários

3.32
  • Remuneração e benefícios
    3.44
  • Oportunidade de carreira
    3.13
  • Cultura da empresa
    3.40
  • Qualidade de vida
    3.09

Recomendam a empresa a um amigo



  • Há 12 dias

    Investimento em educação, mas pouca remuneração

    ProfessoraEx-funcionário, saiu em 2016

    Belém, PA


    Prós: A empresa possui um bom espaço para crescimento profissional, incentivando treinamentos para testes de proficiência de Cambridge, assim como garante metade do valor da prova

    Contras: Algo que encomoda é a remuneração, que por mais que haja hierarquia de salário de acordo com os certificados internacionais que o professor possui, ainda deixa a desejar

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há aproximadamente 1 mês

    Auxiliar Administrativo de Vendas

    Rio de Janeiro, RJ


    Prós: A empresa ainda apresenta alguns bons benefícios, entre eles o principal é poder estudar na Cultura com bolsa integral em qualquer unidade, mas me parece que essa política será revista.

    Contras: Desde que foi comprada pelo grupo Gera venture, uma das muitas empresas de Jorge Paulo Lemman, o "homem mais rico do Brasil", a Cultura perdeu sua identidade. Uma empresa que antes era super preocupada com os clientes externos e com os seus colaboradores passou a fazer demissões em massa, reduzir os benefícios e a demitir professores e colaboradores com anos de experiência e know how, afim de contratar professores recém formados por valores infinitamente abaixo do mercado, bem como trainees que trabalham muito, ganham pouco. O clima se tornou tenso, a obsessão por metas absurdas não ajudou em nada. Longas jornadas de trabalho, nenhuma hora extra paga e trabalhadores esgotados.

    Conselhos para presidência: Pensem mais nos colaboradores. Uma visão mais focada no aluno e na educação também ajudaria. E por favor, parem com essa baboseira de "meritocracia". Não há meritocracia quando colaboradores de anos são preteridos por trainees. Não há meritocracia sem plano de cargos e salários para todos especialmente as filiais onde os auxiliares fazem o trabalho duro. Não há meritocracia se a PL para de ser distribuída para todos e passa a ser privilégio de uns poucos colaboradores do EC e dos gerentes.

    Recomenda a empresa: Não