Love Mondays


Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ/MG)?

93 postagens (32 avaliações nos últimos 12 meses)


Satisfação geral dos funcionários

4.16
  • Remuneração e benefícios
    3.84
  • Oportunidade de carreira
    2.71
  • Cultura da empresa
    3.35
  • Qualidade de vida
    3.74

Recomendam a empresa a um amigo


  • Há 11 dias

    Excelente aprendizado

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Belo Horizonte, MG


    Prós: Salário bom, aprendizado e oportunidade de trabalhar diretamente com magistrado, realizando audiências. Tudo isto contribui para um aprendizado diferente de todos os outros que aprendemos na faculdade

    Contras: O contrato de estágio não pode ser renovado, tem validade de dois anos e não é oferecido muito apoio ao estagiário na hora de encerrar o contrato.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 22 dias

    Órgão com muitos recursos, porém ineficazes em relação a produtividade do trabalho

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2017

    Uberlândia, MG


    Prós: O tjmg está sempre inovando. Sempre tem material para trabalhar, Computadores bons e estão sempre atualizando e modernizando o sistema para que os processos corram de formas mais célere e com qualidade.

    Contras: O Tribunal poderia melhorar no sentido de avaliar seus empregados por produtividade. Os funcionários geralmente não trabalham em período integral e enquanto uns trabalham e dedicam ao máximo, outros não produzem nada.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 1 mês

    Ótima experiência.

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Diamantina, MG


    Prós: Ambiente de trabalho agradável, equipe interessada no desenvolvimento das atividades. Possibilidade de diálogo e negociação acerca de certas questões profissionais, experiência agregadora de conhecimentos.

    Contras: O Estado carece de condições de infraestrutura e de pessoal proporcionais à demanda do serviço. Chefia por vezes se demonstrava distante ou ocupada demais para se vislumbrar um feedback realista acerca do comportamento do funcionário em suas atribuições.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 2 meses

    Bom

    Estoquista

    Betim, MG


    Prós: O cargo é excelente, pois a muito aprendizado com os servidores. Ha possibilidades de conhecimentos em todas as secretarias. Estes são os pontos positivos.

    Contras: Por ser estágio, é feito um contrato temporário, o que nao permite a promoção no cargo. Ademais, acho o salario baixo pela carga horaria exercida

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 2 meses

    Muito bom

    Assessor

    Belo Horizonte, MG


    Prós: Ambiente agradável, com qualidade técnica, profissionais sérios e com grande capacidade de atingir metas. Serviço que atende a população de foma efetiva

    Contras: Necessita ampliar o quadro de funcionários para atender com maior efetividade e rapidez as demandas judiciais. Necessita de desburocratizar as

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 3 meses

    Para quem trabalhou no Tribunal de Justiça, a situação do judiciário brasileiro não surpreende

    Assessor de JuizEx-funcionário, saiu em 2018


    Prós: A dedicação das pessoas com quem trabalhei e que tinham real envolvimento com o trabalho, tão difícil e penoso. O aprendizado que, para um assessor, se dá de forma aprofundada e bastante diversificada.

    Contras: Não há envolvimento por parte de quem pode mudar a realidade da justiça nas cidades do interior. Há uma diferença de tratamento e de condições de trabalho absurda entre o que é concedido aos desembargadores e aos juízes de primeira instância. Quem sai prejudicado é o jurisdicionado que tem que lidar com a demora que poderia ser muito menor se os juízes tivessem, por exemplo, 2 assessores. Aos desembargadores é dado o direito a 2 assistentes e 4 assessores e, aos juízes, apenas 1 assessor. Os membros do Tribunal, inclusive os que integram as equipes de correição, são completamente insensíveis à situação e se mantém providencialmente encastelados como se nada tivesse a ver com os problemas diários do judiciário, quando, na verdade, são a razão da existência da grande maioria deles. Se quedam inertes na solução, para manter seu conforto que permite a troca do trabalho pela encenação política e social, deixando o povo desassistido e desamparado pela falta de atenção séria e focada no que realmente importa.

    Conselhos para presidência: É necessário que se tenha uma dose mínima de humanidade e decência moral para cuidar do interesse das pessoas que, por muitas vezes, só têm ao judiciário para recorrer. Os Tribunais de Justiça são feitos para o povo e não para que seus membros se tornem algozes egoicos que se utilizam dos cargos para conseguirem regalias, títulos e status. Os desembargadores, assim como os demais funcionários, são servidores do povo. Empregados dele e a ele devem envolvimento, cordialidade e a priorização de seu(do jurisdicionado) interesse. Se agissem com moralidade e sem essa auto-referência doentia, saberiam que a primeira instância precisa de muito mais atenção do que o Tribunal. Os desembargadores recebem infinitamente menos processos do que os magistrados de 1ª Instância. Quem deveria ter o maior número de assessores?

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 4 meses

    Maravilhoso

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Coronel Fabriciano, MG


    Prós: Adquiri muito aprendizado por lá. Você entra por processo seletivo, ou seja, não é por indicação, o que é excelente. As pessoas nos tratam muito bem.

    Contras: Infelizmente não tem plano de carreira, ou seja, para estabilizar no TJMG só fazendo concurso. Sendo assim, acabando o contrato de ESTÁGIO estamos na rua.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 5 meses

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Belo Horizonte, MG


    Prós: Aprendizado, carga horária, comunicação, férias, respeito, educação. Excelente ambiente para crescimento pessoal e profissional. Todo estudante do curso de Direito deveria fazer estágio no TJMG.

    Contras: Falta de oportunidade de aprendizado em outro setores,é difícil conseguir transferência de setor às vezes, e os gestores não costumam ser a favor das mudanças.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 5 meses

    Realidade do judiciário mineiro

    Estagiário Superior

    Belo Horizonte, MG


    Prós: Possibilidade de imersão nas rotinas do judiciário mineiro. Entender como funciona a prestação jurisdicional no âmbito estadual, perspectivas e desafios do cotidiano.

    Contras: Falta de incentivo a modernização, adequação entre o judiciário e o novo mundo globalizado, aperfeiçoamento de seus serviços (desde a consulta de andamento processual ate a publicação de decisões na internet para acesso dos advogados e partes interessadas).Falta investimento na melhoria da prestação jurisdicional a população, seja por espaço fisico insatisfatório, seja por ausência de efetivo para dar conta do serviço, ao passo que os estagiários ficam por conta de trabalhar como se servidores fossem.

    Conselhos para presidência: Gentileza gastar menos com supérfluo e investir na qualidade da prestação jurisdicional, aumentando o efetivo de servidores e reduzindo o efetivo de cargos comissionados.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 5 meses

    Boa

    Estagiário

    Belo Horizonte, MG


    Prós: No setor de conciliação há muito a aprender. O desenvolvimento acadêmico, profissional e pessoal é grande. Porém, nos outros setores (como secretaria e gabinete) o trabalho é um tanto mecanico.

    Contras: Conforme mencionado, em alguns setores o trabalho é mecanizado, sendo o estagiário encarregado de funções que não contribuem tanto para sua formação.

    Recomenda a empresa: Sim


Informações da empresa

Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ/MG)

RH: quer atrair bons talentos?