• Empresas
  • Salários
  • Entrevistas
  • Vagas
Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ/MG)?

95 postagens (24 avaliações nos últimos 12 meses)


Satisfação geral dos funcionários

4.13
  • Remuneração e benefícios
    3.78
  • Oportunidade de carreira
    2.52
  • Cultura da empresa
    3.04
  • Qualidade de vida
    3.39

Recomendam a empresa a um amigo


  • Há 18 dias

    Não gostei

    Estagiário de Serviço Social

    Belo Horizonte, MG


    Prós: Salário bacana, carga horária de apenas 06 horas semanais No mais não vejo nenhum outro benefício. O que é atrativo é a bolsa de estagio, já que a maioria dos outros lugares não fornecem nem a passagem.

    Contras: Muita sobrecarga de trabalho, péssima estrutura pra trabalhar, falta de um supervisor de campo, poucos funcionários para desempenhar as tarefas determinadas...

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 3 meses

    Excelente

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Patrocínio, MG


    Prós: APRENDIZADO, CRESCIMENTO PROFISSIONAL, CONVIVÊNCIA NA ÁREA JURÍDICA PRATICA. Estagiar na vara cível proporciona uma imersão numa imensidão de assuntos do gigante direito e processo civil. Danos morais, execuções, danos materiais, divórcios, reconhecimento/dissolução de união estável, contratos, inventários, usucapião, obrigação de fazer/entregar coisa/dar coisa certa, enfim, são muitas ações que possuem no seu bojo uma verdadeira gama de assuntos. Você entra em contato o tempo todo com direito material, tanto no que diz respeito aos aspectos doutrinários quanto jurisprudenciais

    Contras: Falta de treinamento antes do inicio do estagio, atenção dos assessores como os estagiários, Dificuldade em reter talentos, pouco tempo de estagio.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 4 meses

    Excelente aprendizado

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Belo Horizonte, MG


    Prós: Salário bom, aprendizado e oportunidade de trabalhar diretamente com magistrado, realizando audiências. Tudo isto contribui para um aprendizado diferente de todos os outros que aprendemos na faculdade

    Contras: O contrato de estágio não pode ser renovado, tem validade de dois anos e não é oferecido muito apoio ao estagiário na hora de encerrar o contrato.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 4 meses

    Órgão com muitos recursos, porém ineficazes em relação a produtividade do trabalho

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2017

    Uberlândia, MG


    Prós: O tjmg está sempre inovando. Sempre tem material para trabalhar, Computadores bons e estão sempre atualizando e modernizando o sistema para que os processos corram de formas mais célere e com qualidade.

    Contras: O Tribunal poderia melhorar no sentido de avaliar seus empregados por produtividade. Os funcionários geralmente não trabalham em período integral e enquanto uns trabalham e dedicam ao máximo, outros não produzem nada.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 5 meses

    Ótima experiência.

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Diamantina, MG


    Prós: Ambiente de trabalho agradável, equipe interessada no desenvolvimento das atividades. Possibilidade de diálogo e negociação acerca de certas questões profissionais, experiência agregadora de conhecimentos.

    Contras: O Estado carece de condições de infraestrutura e de pessoal proporcionais à demanda do serviço. Chefia por vezes se demonstrava distante ou ocupada demais para se vislumbrar um feedback realista acerca do comportamento do funcionário em suas atribuições.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 5 meses

    Bom

    Estoquista

    Betim, MG


    Prós: O cargo é excelente, pois a muito aprendizado com os servidores. Ha possibilidades de conhecimentos em todas as secretarias. Estes são os pontos positivos.

    Contras: Por ser estágio, é feito um contrato temporário, o que nao permite a promoção no cargo. Ademais, acho o salario baixo pela carga horaria exercida

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 6 meses

    Muito bom

    Assessor

    Belo Horizonte, MG


    Prós: Ambiente agradável, com qualidade técnica, profissionais sérios e com grande capacidade de atingir metas. Serviço que atende a população de foma efetiva

    Contras: Necessita ampliar o quadro de funcionários para atender com maior efetividade e rapidez as demandas judiciais. Necessita de desburocratizar as

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 7 meses

    Para quem trabalhou no Tribunal de Justiça, a situação do judiciário brasileiro não surpreende

    Assessor de JuizEx-funcionário, saiu em 2018


    Prós: A dedicação das pessoas com quem trabalhei e que tinham real envolvimento com o trabalho, tão difícil e penoso. O aprendizado que, para um assessor, se dá de forma aprofundada e bastante diversificada.

    Contras: Não há envolvimento por parte de quem pode mudar a realidade da justiça nas cidades do interior. Há uma diferença de tratamento e de condições de trabalho absurda entre o que é concedido aos desembargadores e aos juízes de primeira instância. Quem sai prejudicado é o jurisdicionado que tem que lidar com a demora que poderia ser muito menor se os juízes tivessem, por exemplo, 2 assessores. Aos desembargadores é dado o direito a 2 assistentes e 4 assessores e, aos juízes, apenas 1 assessor. Os membros do Tribunal, inclusive os que integram as equipes de correição, são completamente insensíveis à situação e se mantém providencialmente encastelados como se nada tivesse a ver com os problemas diários do judiciário, quando, na verdade, são a razão da existência da grande maioria deles. Se quedam inertes na solução, para manter seu conforto que permite a troca do trabalho pela encenação política e social, deixando o povo desassistido e desamparado pela falta de atenção séria e focada no que realmente importa.

    Conselhos para presidência: É necessário que se tenha uma dose mínima de humanidade e decência moral para cuidar do interesse das pessoas que, por muitas vezes, só têm ao judiciário para recorrer. Os Tribunais de Justiça são feitos para o povo e não para que seus membros se tornem algozes egoicos que se utilizam dos cargos para conseguirem regalias, títulos e status. Os desembargadores, assim como os demais funcionários, são servidores do povo. Empregados dele e a ele devem envolvimento, cordialidade e a priorização de seu(do jurisdicionado) interesse. Se agissem com moralidade e sem essa auto-referência doentia, saberiam que a primeira instância precisa de muito mais atenção do que o Tribunal. Os desembargadores recebem infinitamente menos processos do que os magistrados de 1ª Instância. Quem deveria ter o maior número de assessores?

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 8 meses

    Maravilhoso

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Coronel Fabriciano, MG


    Prós: Adquiri muito aprendizado por lá. Você entra por processo seletivo, ou seja, não é por indicação, o que é excelente. As pessoas nos tratam muito bem.

    Contras: Infelizmente não tem plano de carreira, ou seja, para estabilizar no TJMG só fazendo concurso. Sendo assim, acabando o contrato de ESTÁGIO estamos na rua.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 8 meses

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2017

    Belo Horizonte, MG


    Prós: Aprendizado, carga horária, comunicação, férias, respeito, educação. Excelente ambiente para crescimento pessoal e profissional. Todo estudante do curso de Direito deveria fazer estágio no TJMG.

    Contras: Falta de oportunidade de aprendizado em outro setores,é difícil conseguir transferência de setor às vezes, e os gestores não costumam ser a favor das mudanças.

    Recomenda a empresa: Sim


Informações da empresa

Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ/MG)