Love Mondays


Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Grupo Pensare?

2 postagens (1 avaliação nos últimos 12 meses)


Satisfação geral dos funcionários

2.00
  • Remuneração e benefícios
    1.00
  • Oportunidade de carreira
    2.00
  • Cultura da empresa
    3.00
  • Qualidade de vida
    2.00

Recomendam a empresa a um amigo



  • Há aproximadamente 2 anos

    Se o salário fosse bom, seria o emprego perfeito

    Diretor de Criação

    Osvaldo Cruz, SP


    Prós: Ambiente agradável, ninguém tenta ser mais que o outro, pessoas legais, localização é boa e pode ouvir música.

    Contras: Exploração absurda dos funcionários, não é pago hora extra e é exigido que fique fazendo hora extra, muita pressão e estresse.

    Conselhos para presidência: Pagar hora extra, investir no dep. de criação e em hardware e pagar salários bons.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 6 meses

    Os donos poderiam amar mais a empresa

    Ex-funcionário, saiu em 2016

    Osvaldo Cruz, SP


    Prós: O ambiente é descontraído e as pessoas são legais. Todos se ajudam muito entre si. É um excelente lugar para estudantes fazerem estágio e aprenderem funções técnicas.

    Contras: A equipe de atendimento é formada por profissionais sem o menor conhecimento do mercado, pouco conhecimento da língua portuguesa e sem a menor capacidade de atender os clientes de forma qualitativa. Muitas vezes, nem o profissional do atendimento sabe explicar o que é o job. Os donos são extremamente despreparados. Frequentemente, fazem chantagem emocional para os funcionários fazerem hora extra (sem remuneração, é claro). Apesar de a empresa ter uma receita razoável, os donos escondem isso sob o pretexto da "crise" e não fazem investimentos na própria estrutura: os computadores são antigos e vivem travando, os funcionários nunca são submetidos a nenhum tipo de capacitação ou treinamento, os salários são baixíssimos com relação ao mercado e nunca são contratados bons profissionais (somente estagiários sem experiência ou profissionais de outra área de atuação). Enquanto isso, os donos desfilam com macbooks, carro zero e férias 2 vezes no ano, com direito à viagem internacional. Existe uma política de "banco de horas" que só privilegia a empresa. Por exemplo, um profissional que trabalha por 12 horas em um dia deverá ter muita força de vontade (e um pouco de sorte) para conseguir "tirar" essas 4 horas extras. Alguns funcionários chegam a somar cerca de 200 horas extras até conseguir tirar 1 ou 2 dias de folga.

    Conselhos para presidência: Os donos deveriam procurar uma consultoria ou coaching, para conseguirem enxergar os seus próprios erros. Também poderiam começar a investir mais na equipe, em termos de salários, treinamentos e benefícios (que hoje nem existem), em vez de ficar desfilando suas viagens e gerando mais insatisfação e serviços ruins.

    Recomenda a empresa: Não

Informações da empresa

Grupo Pensare
RH: quer atrair bons talentos?