Love Mondays


Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Fundação Dom Cabral (FDC)?

Ver todas as avaliações

  • Há 5 meses

    A casa é de ferreiro, o espeto é de pau!

    Ex-funcionário, saiu em 2017

    Nova Lima, MG


    Prós: Bom ambiente de trabalho, bons benefícios para os funcionários, instalações excelentes, opção de transporte para os funcionários, ambiente familiar, flexibilidade de horários para os funcionários do corpo técnico, acesso a pessoas e contatos interessantes.

    Contras: Plano de carreira praticamente inexistente, salários desiguais para pares profissionais, rigidez e distinção entre funcionários dos corpos técnico e administrativo, alienação dos terceirizados, procrastinação e falta de clareza na tomada de decisão, média gerência descoordenada horizontalmente, discurso desalinhado entre diretoria e demais funcionários, o distanciamento de ideias e discurso entre a diretoria estatutária/conselho curador e os demais funcionários chega a ser constrangedor, empresa trata problemas sérios com "panos quentes" e principalmente a escola não pratica o que ensina.

    Conselhos para presidência: No geral, é urgente a necessidade da FDC aprender a praticar aquilo que ensina a seus clientes, pois, o ideal de cultura organizacional é utópico e nem o RH da empresa o pratica. Os funcionários não entendem o posicionamento estratégico da empresa, os tomadores de decisões na empresa colocam "panos quentes" em situações que precisam de solução imediata, procrastinam decisões e usam de "jeitinhos" para tampar buracos sérios. Além disso: 1) Reformule esse RH! Os funcionários não confiam/acreditam no RH da empresa e sequer sabem a quem procurar, caso precise. A maior parte do grupo que trabalha nessa área não está conectado ao resto dos funcionários da empresa e não sabem lidar apropriadamente com as situações cotidianas. Uma outra dica é: Fique atento à tua média gerência! Eles estão ali para ajudar. 2) Criem um PLANO DE CARREIRA! A ausência de um plano de carreira é sempre a primeira reclamação de seus funcionários: existe desigualdade salarial entre pares e há vários funcionários cujas atribuições sejam desconhecidas a todos os outros da empresa. Além disso, a empresa negligencia promoções e o problemas como concentração excessiva de atividades em um só funcionário e o desvio de função se tornaram práticas corriqueiras. 3) Encerrem a política "dois pesos, duas medidas"! Embora a FDC pretenda vender a ideia de sermos todos iguais (inclusive, isso está na carta de convivência), observa-se a diferença no grau de severidade ao se tratar aprendizes, corpo administrativo, professores e gerentes. 4) Escrevam uma nova carta de convivência, ou aprendam a aplicar a que vocês já têm! É notável que a FDC não é um lugar de igualdade. As seguintes frases são senso comum entre seus funcionários: "Não há professores de tempo integral que sejam, ou assumidamente homossexuais", "A maioria dos funcionários são mulheres, mas só tem homens nos cargos de decisão" (atualmente 4), "Não é possível um coordenador se tornar supervisor e, depois, gerente de projetos". 5) Definam seu posicionamento com clareza! A FDC não produz conhecimento, a FDC apenas REPRODUZ conhecimento (salvo um grupo de três ou quatro professores): com esse fato, indico - Terceirizem a Pesquisa! Será melhor para os pesquisadores receberem um salário digno pelo seu conhecimento e para a FDC parar de gastar um volume morto de informação de terceiros. 6) Se discorda do ponto 5 (o que conhecendo o atual presidente, eu duvido muito), passem então a valorizar seus pesquisadores. Criem um programa de contratações e vinculem grupos multidisciplinares às áreas do conhecimento que vocês tenham vocação. É assim que as principais escola no mundo fazem.

    Recomenda a empresa: Não

Informações da empresa

Fundação Dom Cabral (FDC)

Descrição:A Fundação Dom Cabral foi criada em Belo Horizonte em 1976, como instituição autônoma e sem fins lucrativos. Comprometida com a excelência na educação executiva, a FDC exerce suas atividades no Brasil e no exterior, muitas vezes em cooperação com instituições locais, por meio da sua rede de alianças internacionais.

Site

RH: quer atrair bons talentos?