Love Mondays


Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Ericsson?

254 postagens (60 avaliações nos últimos 12 meses)


Satisfação geral dos funcionários

3.63
  • Remuneração e benefícios
    3.55
  • Oportunidade de carreira
    2.95
  • Cultura da empresa
    3.43
  • Qualidade de vida
    3.57

Recomendam a empresa a um amigo



  • Há aproximadamente 3 anos

    Funcionário

    São José dos Campos, SP


    Prós: A Ericsson é uma empresa que se preocupa em integrar da melhor maneira possível todos os aspectos da vida de seus funcionários: saúde, bem-estar, cultura, lazer, ações sociais... Além disso, a busca pela excelência é compromisso de todos os degraus da pirâmide hierárquica. Formamos um time, uma família, que tem o mesmo foco, os mesmos objetivos e metas. E todos trabalhamos juntos para alcançá-las.

    Contras: Reduzir o retrabalho, intra e inter-áreas é um ponto no qual precisamos avançar, sempre buscando a qualidade dos nossos serviços.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há mais de 3 anos

    Não recomendo um empresa que não reconhece o trabalho de seus funcionários.

    Analista de Telecomunicações

    São Paulo, SP


    Prós: Por ser uma empresa multinacional, a Ericsson pode, em alguns casos, trazer oportunidades de emprego fora do Brasil.
    A localização é de facil acesso, com estacionamento próprio para todos os funcionários, clube e ampla estação de trabalho em alguns departamentos.
    Restaurante próprio no prédio, o que para alguns, é uma comodidade.

    Contras: Apesar de uma empresa com boa estrutura e aparentemente voltada para o futuro, possui uma forma muito antiga e burocrática de conduzir as tarefas diárias.
    O funcionário fica preso à diversos processos sem resultados.
    Como exemplo, podemos citar a marcação de ponto diária, apontamento de horas trabalhadas em projetos, certificações internas sem reconhecimento de mercado, ferramentas de avaliação dos gerentes que não geram nenhum resultado, RH Ineficiente e de difícil acesso, entre outras.
    É um tanto quanto curioso, uma empresa orientada a entrega de projetos, se preocupar em pressionar os funcionários para marcação de ponto diariamente.

    A Ericsson possui diversos gerentes, diretores e heads. Por muitas vezes, nem ao menos sabemos a quem obedecer. Os gerentes não possuem opinião prória, pois devem obedecer aos diretores e heads que não participam das atividades dos funcionários. Estes tomam decisões baseadas em processos e ferramentas ineficazes de análise de marcado.

    Hoje, a Ericsson tenta enviar grande parte dos projetos para países com Menor custo, como México e China. Inclusive projetos de operadoras nacionais. Isso vem degradando diretamente a qualidade de entrega de projetos e serviços, perdendo cada vez mais, a credibilidade no mercado.

    Viagens desgastantes e sem remuneração.
    Muitos projetos ou integrações realizadas por nós funcionários, não são em são paulo. temos de passar grande parte do ano viajando a trabalho, sem nenhum adicional para isso.
    Temos em regra, 80 reais por dia para refeições, porém, esse valor não é dado aos funcionários. Temos que apresentar notas fiscais de refeiçoes com valor de até 80 reais por dia. Então fazer um reembolso em uma ferramenta extremamente burocrática, onde os dados serão enviados para china. Caso suas refeições passem de 80 reais, a empresa não reembolsa e terá de pagar por conta própria. Não ganhamos diária e nenhum tipo de benefício por viagens.

    O equilíbrio entre vida pessoal e vida profissional é inexistente. Todos os funcionários possuem telefone corporativo 24 horas por dia. A qualquer momento podemos ser acionados, e obviamente, não ganhamos nada por isso. Talvez consigamos apontar horas extras depois um complexo sistema de verificação e convencimento de que realmente trabalhamos fora de horário. Podendo ser reprovado caso o Gerente de linha ou o Gerente de projeto discorde de sua atuação.
    Trabalhar com celular corporativo 24 horas e viajando para outras cidades sem prévio aviso, torna impossível qualquer compromisso pessoal ou rotina. Inclusive finais de semana perdidos em viagens a trabalho.

    Conselhos para presidência: Senhores presidentes e Heads. Ao menos uma vez por ano, ouçam os funcionários, avaliem a perspectiva de quem esta na linha de frente com o cliente. Seja integrando, projetando ou até mesmo vendendo.

    Os senhores realmente concordam com o sistema de remuneração da Ericsson ? Onde os funcionários dão suas vidas viajando até mesmo para lugares inóspitos sem nenhum adicional monetário em troca ?
    Deixamos nossas famílias pelo trabalho, deixamos nossos compromissos para atender a empresa, corremos risco em lugares sem estrutura e não existem nenhum reconhecimento por isso.

    Diariamente temos novas tecnologias para trabalhar e demoramos muito tempo aprendendo sozinhos sem nenhum treinamento.
    Treinamentos são oferecidos a quem tem proximidade com gerentes ou diretores, não com base em necessidade de aprendizado dos funcionários.
    Esse critério de treinamento é inadmissível.

    O sistema de certificações internas é falho, hoje qualquer pessoa pode conseguir o gabarito das provas e aparentemente só os senhores ainda não perceberam.
    Existem inúmeros certificados e poucos preparados. Essa certificação interna não mostra absolutamente nada! Só cria cada vez mais corrupção dentro da empresa.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 2 anos

    Funcionário


    Prós: Uma empresa que preza pela estabilidade e crescimento do funcionário. A grande maioria dos seus gestores tratam seus subordinados com muito respeito e profissionalismo; Os benefícios são muito bons como convênio médico, restaurante, estacionamento e clube

    Contras: Dentro do mercado o salário é baixo; As inovações poderiam ser mais agressivas mas travam em processos burocráticos da empresa; Possuem estruturas matriciais muito inchadas cheias de caixinhas para chefia e supervisão ineficientes na maioria das vezes

    Conselhos para presidência: A Ericsson é uma ótima empresa, na qual tenho orgulho de trabalhar, entendo que os offshoring ajudam a diminuir os gastos da empresa, porém nesse processo estamos perdendo pessoas chaves que vão trabalhar nas concorrentes com toda a bagagem que a Ericsson passa, o que deixa a concorrente ainda mais forte perante nós

  • Há mais de 3 anos

    No momento, para quem está se aposentando, pois os novos não gostarão do ambiente

    Analista de Redes

    São Paulo, SP


    Prós: A empresa permite a convivência internacional para pessoas em algumas áreas (não todas), tanto em projetos quanto em treinamentos (embora este venha caindo ultimamente). Outro ponto bom é o clube que a empresa oferece.

    Contras: Infelizmente a empresa vem tirando muitas coisas boas que possuía:

    - Home-Office: Contrariando a tendência das empresas mais abertas e criativas, a Ericsson cortou o Home office, embora, mesmo quando antes a prática existia formalmente, já não era vista com bons olhos. É claro que a prática sendo formalmente permitida, teria a supervisão dos gerentes para não haver abusos, mas até isso foi cortado.

    - Ponto Eletrônico: A empresa passou a adotar o ponto eletrônico (batimento de cartão), ou seja, na visão dos funcionários, isso passa não só desconfiança, mas também um ambiente que mais lembra o de uma fábrica dos anos 1920, ao invés de reconhecer os funcionários pelo atingimento dos resultados e cumprimento dos projetos. Sem contar que a flexibilidade é praticamente nula.

    -Metas: Muitas metas incoerentes são colocadas, como realizar os trabalhos burocráticos em tempo, o que vale mais do que entregar um projeto ao cliente com boa qualidade.

    - Aumento salarial: Essa questão está realmente ruim. Bons funcionários, que atingem metas, trazem lucro e retorno para a empresa com inovações, só são reconhecidos depois que saem da empresa, ou quando estão já com proposta fechada na outra empresa (isso quando oferecem contra proposta). Aumentos salarias são extremamente difíceis, somente quando a pessoa sai e volta é que pode conseguir voltar um pouco mais valorizada. Enquanto isso, os que vestem a camisa da empresa findam por ganhar 1%, 3% de aumento, e cifras tão irrisórias que tendem a desanimar mais ainda o funcionário.

    - Gerência: A gerência (no geral, pois há exceções) se mostra arcaica e com visão de uma empresa antiga demais, além de termos a sensação de muitos chefes e poucos trabalhadores ativos, o que tende a repelir novos e bons talentos.

    - Burocracia: A empresa parece perder muitos contratos devido a alta burocracia e processos entre a venda de um serviço e sua realização, o que torna o serviço caro e não competitivo, além de falhas no processo de vendas: Ex: não envolver pessoas técnicas na venda dos serviços, o que gera incoerências na entrega, reclamações dos clientes e mais retrabalho.

    Resumindo: A empresa vêm se tornando uma empresa boa para aqueles que estão mais acomodados e querem se aposentar, mas não mais interessante para quem quer uma carreira empolgante e participar ativamente de um mercado inovador, ou pessoas que são ativas, dinâmicas e criativas.

    Conselhos para presidência: Muitos não manifestam seu descontentamento por medo, o que mostra que os funcionários não confiam 100% na empresa. Por isso, a empresa deveria dar mais atenção a essas questões principais que vêm desmotivando muitos funcionários e fazendo com que Ótimos profissionais abandonem a empresa (estas opiniões/pontos representam um grupo bem grande na empresa e são pontos principais), o que deixa a empresa menos criativa e menos competitiva no mercado.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há mais de 3 anos

    Empresa boa mas com dificuldade em se adaptar as mudancas do mercado.

    Ex-funcionário, saiu em 2014

    São Paulo, SP


    Prós: Empresa de grande porte presente em diversos mercados na area tecnologica. Relativamente estavel.

    Contras: Pouca possibilidade de ascencao na carreira. Carreira em Y como forma de manter muitos talentos subjulgados a um grupo eternalizado nas posicoes chave. Muito cacique pra pouco indio. Sistema de metas anuais irritante, nao necessariamente ajustado a funcao, e cujo cumprimento nao reflete na PL (composta 100% de metas corporativas, 80% financeiras). Sistema de certificacoes para obter promocoes nas carreiras tecnicas, criando mais overhead e menos merito. Nao permite home office nenhum dia da semana. Pouco treinamento.

    Conselhos para presidência: A Ericsson vai passar por uma crise como a da NSN e nao vai demorar muito. A empresa precisa gente talentosa, bem treinada, flexivel e motivada para fazer frente aos novos desafios. Somente com investimentos macicos em processos e ferramentas voces vao conseguir vender o trabalho da india e do mexico no brasil. Comecem a rever o conceito de leadership. Em todo meu tempo na empresa nao conheci nenhum head ou gerente que me agregasse algo ou servisse de inspiracao.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há mais de 3 anos

    Ericsson perde qualidade

    Especialista

    São Paulo, SP


    Prós: Oportunidades de interação com outras culturas e possibilidade de trabalhar fora do país.
    Muitas possibilidades de aprendizado. Posicionamento forte no mercado.

    Contras: - Diminuir os overheads pois se torna inviável competir com empresas menores e mais eficazes;
    - Parar de entregar para o cliente atividades fora de escopo. Me parece que a empresa acaba sempre entregando a mais devido à outras atividades que não consegue entregar no prazo e com qualidade;
    - Não favorece a rotatividade do funcionário dentro da empresa. Se o mesmo começou em um departamento, irá terminar sua carreira lá;
    - Valorizar mais funcionários que tem ambição de crescer dentro da empresa. Alguns gerentes se perpetuam em suas posições e não incentivam o funcionário a crescer dentro da empresa;
    - Certificações que servem só para mostrar bons números internamente. Os funcionários recebem até treinamentos de como passar nestas certificações. Não mede o que o mesmo sabe, tem de experiência e pode contribuir para a empresa.

    Conselhos para presidência: A partir do dia que nos disse que a empresa não era um Google, perdemos totalmente a vontade de continuar dando todo o sangue pela mesma pois o Google serve de modelo em vários quesitos e especialmente em inovação. Outra grande hipocrisia que existe é o sonho que a empresa vende de um mundo todo conectado, novas maneiras de trabalhar em qualquer lugar do planeta e os própios funcionários não tem um smartphone com conexão com a internet e são obrigados a estar todos os dias no escritório. Me parece totalmente contraditório.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há mais de 3 anos

    No primeiro ano muito boa, porém a médio e longo prazo é frustante

    Ex-funcionário, saiu em 2010

    São Paulo, SP


    Prós: Oferece um boa relação trabalho e qualidade de vida

    Contras: Pouca possibilidade de ascencão na carreira.
    Pessoas trabalhando em cargos na grande maioria das vezes por forma de indicação e não mérito
    Sistema de bônus ruim e ligado a número da empresa e não a metas pessoais, sendo que 85% ligado a resultados financeiros.
    Pacote de beneficios pouco atraente e conservador
    Valores de dissidio baixissimo e não considera o valor total do salario e sim apenas um teto salarial baixo, ou seja, a cada ano que passa o seu salário é corroído extremamente pela inflação.
    Nao permite home office nenhum dia da semana.
    Possui certificações internas burocráticas apenas para servir a requisitos internos da empresa e não ao mercado
    Modo de avaliação pessoal sem padronização, as metas saem da cabeça de qualquer gerente e você sofre para conseguir um aumento de 2 ou 3% ao ano mesmo com resultados pessoais muito bons.

    Conselhos para presidência: Acordar, pois os salários na Ericsson com relação ao mercado estão entre 20 e 30% menores, A empresa perdeu o bonde dos smartphones e hoje depende apenas de um mercado de operadoras que estão cada vez pior devido as aplicações novas que vem surgindo a cada mês e tirando receitas das mesmas.
    O ambiente internos está ruim e vários funcionários tem deixado a empresa regularmente.
    Invista em pessoas mais qualificadas e não apenas nas mesmas que estão a muitos anos em cargos de Diretoria e Vice presidência.
    Dar oportunidade as pessoas que trabalham em cargos técnicos para que possam assumir outros cargos dentro da empresa.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 11 meses

    Gigante do Mercado de Telecomunicações vivendo um Péssimo Momento

    Gerente de Projetos (GP)

    São Paulo, SP


    Prós: Empresa sueca com mais de 140 anos de existência no mercado de telefonia e telecomunicações, tem presença mundial em diversos países e um quadro de mais de 115,000 funcionários. No Brasil, a empresa está presente a mais 90 anos, com sede em São Paulos e filiais no Rio e São José dos Campos.

    Contras: No Brasil e na sua sede em São Paulo: - perdas constantes de beneficíos e obssessão por custos - downgrade do plano de saúde - por ser uma indústria de hardware o dissídio não é linear e não existe correção da inflação nos salários - perda do estacionamento - pessímo restaurante, comida horrível e insalubre - péssima localização na Zona Norte de São Paulo - prédio velho com quase 50 anos caindo as pedaços, sempre em reforma - ar condicionado deficitário, ambiente imundo e bagunçado - movéis e estrutura de facilities velha e desgastada - mudanças/cortes na política de viagem - engessamento do plano de carreiras, RH terceirizado e bagunçado - cortes constantes de quadros, devido as infindáveis reestruturações para tentar contornar a crise relacionada à baixa nas vendas - perda de mercado para a Huaweii e Nokia - uso constante de terceiros para diminuir custos e conseguir incentivos fiscais do governo No Brasil, com seus 90 anos, é um empresa lenta e burocrática, muito inchada, com panelinhas de funcionários antigos que só pensam em sobreviver e não colaboram, apenas vivem para fortalecer teias de relacionamento de décadas. O sistema de availação é viciado para proteger line managers e diretores antigos. Mundialmente: Ericsson vive um péssimo momento atual, está cortando quadros em vários países, com cortes de mais de 12,000 funcionários desde 2014. O presidente Hans Verstberg foi removido em Julho de 2016 e não foi substituído, as ações estão em queda a mais de 9 meses, estando hoje (Oct/2016) no mesmo patamar de Oct/2008. Há mais anos de 10 anos, a Ericsson tenta se transformar em uma empresa de software e de rede de dados, mas na visão do mercado continua sendo uma simples fornecedora de centrais telefônicas.

    Conselhos para presidência: Na Ericsson Brasil: - transformar numa empresa do século 21, mudar a cultura interna de funcionalismo público, cortar as múmias da telefonia fixa que estão na empresa por mais de 20 anos escondidos nos feudos e nas panelas e investir em quadros mais jovens e formados no mercado ágil de software, internet e mobile Na Ericsson Global: - Entrar numa fusão com um empresa verdadeiramente de IoT (Cisco, Google, Nokia)

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 6 meses

    Bom ambiente mas te deixa estagnado profissionalmente

    Analista de Sistemas Júnior

    São Paulo, SP


    Prós: Ambiente descontraído e amigável.Incentiva a colaboratividade e a difusão do conhecimento entre os funcionários bem como fornece treinamentos para capacitar seus funcionários.Chefia aberta à diálogos

    Contras: Não tem plano de carreira definido e não segue uma política de promoção justa.Há muitos funcionários com cargos de pleno e sênior com muito menos conhecimento que colaboradores júnior e chefias com pouco conhecimento do negócio.

    Conselhos para presidência: Valorizar mais os funcionários mais antigos de casa ao invés de buscar no mercado profissionais para ocupar cargos altos.Definir um plano de carreira e rever benefícios o quanto antes.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há mais de 3 anos

    Minha vida profissional foi toda construída nesta conceituada empresa.

    Ex-funcionário, saiu em 2012

    São José dos Campos, SP


    Prós: Competitiva.

    Contras: Diminuir número de pessoas que estão comandando a empresas.
    Ex: Gestores.

    Conselhos para presidência: Que a Ericsson valorize mais seus colaboradores que passaram pelo chão de fabrica, pois eles tem uma visão geral da empresa.

    Recomenda a empresa: Sim


Informações da empresa

Ericsson

Descrição:A Ericsson é um fornecedor multinacional sueca de tecnologia e serviços de comunicações. A oferta inclui serviços, software e infra-estrutura dentro de Tecnologia da Informação e Comunicação para operadoras de telecomunicações e outras indústrias, incluindo telecomunicações e equipamentos de rede IP, banda larga móvel e fixa, operações e soluções de suporte ao negócio, TV a cabo, IPTV, sistemas de vídeo, e uma extensa serviços operação. A Ericsson é a líder mundial no mercado de infra-estrutura de rede móvel 2G/3G/4G. Fundada em 1876 por Lars Magnus Ericsson, a empresa é hoje sediada em Estocolmo, Suécia. A empresa emprega mais de 110.000 pessoas e trabalham com clientes em mais de 180 países, incluindo os EUA, China, Índia, Brasil, Japão, África do Sul, Austrália, Alemanha, Itália, Reino Unido e Suécia.

Site

RH: quer atrair bons talentos?