Love Mondays


Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Credit Suisse?

81 postagens (18 avaliações nos últimos 12 meses)


Satisfação geral dos funcionários

3.50
  • Remuneração e benefícios
    4.88
  • Oportunidade de carreira
    2.88
  • Cultura da empresa
    2.65
  • Qualidade de vida
    2.29

Recomendam a empresa a um amigo



  • Há aproximadamente 2 anos

    Bom local para iniciar carreira, mas pouca qualidade de vida.

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2014

    São Paulo, SP


    Prós: O salário é, indubitavelmente, o ponto forte da empresa - há outros fatores, como profissionalismo e meritocracia.

    Contras: Excesso de egos inflados, com muita disputa pelo controle e pressão para o cumprimento de metas. Ps gerentes, nem sempre, são amigáveis.

    Conselhos para presidência: Aumentem as cotas para deficientes físicos, objetivando uma maior diversidade entre pessoas.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há aproximadamente 3 anos

    Credit Suisse

    Ex-funcionário, saiu em 2001


    Prós: Trabalho muito interessante com um relativa liberdade. Fui dentro de uma posição de reponsabilidade. Achei gente bem amigos.

    Contras: Falta de oportunidade de carreira: as graduações depende mais de amizade com os mandante que da sua capacidade. Ex: minha chef era totalmente incapaz de entender meu trabalho.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há aproximadamente 3 anos

    Valor da hora de trabalho mais baixo do mercado!! (mto trabalho para pouca remuneração)

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2014

    São Paulo, SP


    Prós: Um ótimo nome para se colocar no CV. A remuneração não é de se jogar fora, apesar que no final das contas não compensa (relação entre horas trabalhadas e salário + bônus não vale a pena). Com exceções (muitas), os colegas de trabalho são de altíssimo nível, que te faz crescer e aprender muito. Os sistemas são ótimos e funcionam muito bem (todos feitos pela própria equipe de DEV do banco). Café, chocolate, bolacha, pão, maça e banana grátis.

    Contras: A diretoria da empresa não tem e não se interessa no bem estar dos funcionários. Visivelmente, desde o supervisor até o mais alto diretor, o único interesse é no dinheiro que recebe no fim do mês e principalmente no fim do ano.
    Não existe um plano de carreira, há setores que ninguém pode ser promovido pois há um número limitado de pessoas com título, já vi pessoas muito competentes saindo pois não era possível crescer lá dentro.
    A cultura Garantia foi deturpada, não existe mais meritocracia naquela instituição. Seu bônus é tabelado, se você trabalha até 2 da manhã vc vai receber o mesmo bônus de um cara que saia 6 da tarde e que tenha o mesmo tempo de casa que você.
    Existe uma pressão incrivelmente ridícula para que os funcionários fiquem até tarde, se você vai embora cedo, é tachado de preguiçoso, então muita gente acaba ficando até muito tarde, mas só navegando na internet, youtube, etc...
    Apesar de ser dito que o banco paga parte da sua pós, é praticamente impossível fazer uma pós trabalhando ali. Se você sai cedo, é visto como preguiçoso, mesmo para estudar, a maioria tem que ir estudar e voltar depois da aula para terminar (estou falando de voltar 11 e 30 da noite e sair de lá 2 da manhã), depois que é necessária a autorização da diretoria para vc ser reembolsado, o que não é dado, então vc acaba pagando do próprio bolso).
    Há uma distância absurda entre o front-office e o back-office, é como se fossem duas empresas completamente diferentes. Internamente os funcionários do back são vistos como inferiores pelo funcionários do front, não existe mobilidade do back para o front. Primeiro porque os diretores do back-office querem segurar os funcionários para não precisarem treinar outros, já vi gente que vetaram a transferência de área umas 3, 4 vezes, segundo, existe pre-conceito entre com os funcionários do back.

    Conselhos para presidência: Sr Presidente, se os funcionários do banco realmente são os maiores ativos do banco, como toda vez é dito nos "townhalls", por que não existe nenhuma ação neste sentido? Por que nunca ninguém pensou em conversar com os funcionários para saber o que pode ser feito para melhorar? Nunca houve se quer uma "caixa de sugestões"... Se os funcionários realmente são os maiores ativos do banco, trate de virar de cabeça para baixo o estilo de gestão de seus diretores, pois se nada for feito, nenhum talento terá vontade de ficar. (Ou então, faça como sempre foi feito, continue dando aumento, mas isso vai sair muito caro e os funcionários continuarão infelizes e improdutivos).

    Recomenda a empresa: Não

  • Há mais de 2 anos

    Ambiente terrível dominado por promessas vazias e por sociopatas

    Assistant Vice President

    São Paulo, SP


    Prós: A remuneração fixa é boa O CS tem um nome forte, que pode ajudar e encontrar emprego em outro lugar Tem muitas pessoas capacitadas lá, com as quais é possível aprender

    Contras: Praticamente não existem gestores de pessoas na empresa, mas somente chefes com perfil sociopata que constantemente pressionam os funcioários no limite, cometendo uma série de abusos e desrespeitando a sua vida pessoa. Me sentia coagido a tirar férias, e quando conseguia 10 dias o banco me fazia sentir que era um favor, e não um direito. Obviamente quem escolhia a data das minhas férias era o meu chefe, mesmo eu tentando me planejar e conversar, ele decidia tudo. Há uma pressão para as pessoas irem embora tarde, mesmo que você já tenha feito o seu trabalho. Quem vai embora antes é mal visto e alto de brincandeiras desrespeitosas. Durante todo o tempo que tenho estado no banco, tenho a sensação de que estou no limite para ser mandado embora, apesar de total dedicação e de trabalhar em vários finais de semanas. O banco consegue colocar essa sensação em você, e por melhor que você trabalhe as pessoas do CS não costumam elogiar; pelo contrário, criou-se a cultura de que qualquer erro é muito grave e que merece muitas críticas, muitas vezes com palavrões e em voz alta. O banco praticamente não oferece oportunidades internas, apesar de ter o discurso oposto nas entrevistas de contratação. O banco faz o funcionário do back office se sentir inferior e menos importante, e consegue por na sua cabeça que se você não for para o front office você será um fracassado. Como não existem oportunidades, a competição é grande, os bonus do back são simbolicos e também não existem muitas oportunidades de promoção no back, aquilo se torna uma panela de pressão infernal, que te faz odiar o trabalho e se sentir muito mal. Conheço muitas pessoas que se sentem assim, além de mim. A diretoria faz vista grossa a tudo, e só se preocupa com os respectivos bonus - não há investimentos e um projeto de carreira para ninguém. Enfim, um lugar para se adquirir experiência, para juntar algumas reservas e depois sair o mais rápido possível, enquanto restar alguma humanidade em você.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 3 anos

    Ilusão do curioso incauto

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2010

    São Paulo, SP


    Prós: Instituição de grande nome e reconhecimento, com profissional bem qualificados, salário alto e bônus razoavelmente bom, ambiente de alto aprendizado, com os melhores softwares e desenvolvedores do mercado financeiro, porém o banco adota uma politica que eu denomino, " daqui para frigideira", ou seja, não se tem um coaching sobre como realizar algumas tarefas, em geral você deverá se virar e aprender tudo sozinho.

    Contras: Infelizmente o Credit Suisse se distância a cada dia que passa da cultura do banco Garantia, e da tão mencionada meritocracia, eu sinceramente após 5 anos trabalhando nesta instituição creio que a palavra meritocracia não exista, pelo menos no Back office do Banco, onde o bônus era simplesmente tabelado, onde pessoas que iam embora as 19 horas com títulos de analistas , ganhavam a mesma coisa do que gerenciais que trabalhavam sobre uma pressão absurda e com jornadas de trabalho muito mais altas( as vezes escravas, oque chamo de Revolução Industrial Pós Moderna), oque pra mim não faz sentido nenhum. O Ambiente era muito hostil, engoli muito sapo diversas vezes, entre elas tive que ouvir coisa do tipo, "Você não sabe oque esta fazendo, si é que um dia soube", por parte de alguns traders. Durante 5 anos eu me dediquei totalmente ao banco, e só pensei no banco, mas o banco não pensou em mim em momento algum. Ao sair do banco não fui chamado para nenhum tipo de entrevista demissional com a área de recursos Humanos , para explicar os reais motivos pelo qual sai da instituição.
    Não existe nenhum tipo de plano de carreira na instituição, nenhum tipo de direcionamento, os canais são fechados, também no quesito mobilidade interna o banco deixa muito a desejar.

    Conselhos para presidência: Dê mais valor as pessoas, pois são elas que fazem o banco funcionar e ganhar dinheiro, não me refiro apenas ao quesito financeiro, mas também ao quesito ouvi-las , quais são suas principais motivações, com oque elas estão insatisfeitas ,etc. No Quesito criando monstros , muito cuidado com pessoas que estão no alto da pirâmide, ainda existem traders que tratam os gerenciais como lixos, humilhando-os e utilizando uma postura completamente anti- profissional. Isto pode trazer péssimos danos a reputação do banco.
    Realmente não consigo entender como a presidência nunca tinha tempo para debater assuntos relacionados ao budget, otimizações e melhoras, custos, como o CFO , mas para perder horas em reuniões sobre qual quadro de artista famoso fica mais bonito nos corredores sempre tinha.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há mais de 1 ano

    O último que sair apague a luz

    Associate

    São Paulo, SP


    Prós: Ainda tem um nome que é respeitado em outros lugares As instalações e os computadores estão em bom estado O café da manhã é bom

    Contras: Os bonus foram diminuindo muito nos ultimos anos, e para muitas areas (incluindo de Front) já são em linha ou abaixo dos bonus dos outros principais bancos. É preciso entender bem que o Credit Suisse não é mais o Garantia, e nem paga mais como o mesmo. O Garantia era um banco em que todos eram muito remunerados; no Credit Suisse, isso é verdade apenas para a diretoria. Existe muita pressão, e as horas de trabalho são bem superiores do que em outros bancos. O ambiente é desrespeitoso. Depois de alguns anos lá percebi que era um erro continuar; o discurso e as promessas que contam nas entrevistas são desalinhados com a realidade. A maioria dos chefes tem perfil ou muito técnico ou muito comercial; entretanto, praticamente não se vê chefes com habilidade ou preparação para gerir pessoas no banco. Ha grande descaso e falta de comprometimento com um plano de carreira ou aprendizado dos funcionarios.

    Conselhos para presidência: Invistam mais nos funcionarios, e respeitem mais os mesmos. Criem um ambiente de trabalho melhor. Se não puderem remunerar os funcionarios bem, parem de exigir que os mesmos trabalhem até de madrugada e nos fins de semana. Sejam mais coerentes. Sejam verdadeiros.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há mais de 2 anos

    Credit Suisse

    Assistant Vice PresidentEx-funcionário, saiu em 2013

    São Paulo, SP


    Prós: Bom para currículo;
    Sai de la preparado para qualquer ambiente organizacional; infraestrutura muito boa, equipe de TI altamente qualificada, café da manhã, cursos internos

    Contras: A empresa tem varias qualidades porém a maioria dos funcionários são infelizes devido ao péssimo ambiente. Principalmente As areas de back office, incluindo Corporate Services, Operations, Cadastro,RH, PC....
    Os gestores são horríveis, nao existe plano de carreira e os funcionários vivem numa pressão absurda, nao por resultados mas com medo de serem mandados embora. As pessoas sentem-se coagidas ate mesmo de tirar ferias!!!!
    Não tem nada pra fazer mas sair antes das 19:30 eh mal visto.
    Pessoal comemora quando é mandado embora. Alguns choram no começo, pois são infectados pela ideia de q o CS eh o melhor lugar pra se trabalhar, a cultura deles coloca isso na sua cabeça! Ao sair as pessoas percebem justamente ao contrario: que o café da manhã maravilhoso, bonus pouco acima do mercado nao compensam! Trabalhar em um ambiente onde as pessoas se respeitam, vao ai trabalho para realmente produzir percebem o quanto o ambiente do CS é pesado.

    Conselhos para presidência: Avaliacao 360.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 3 anos

    Circo e pão.

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2014

    São Paulo, SP


    Prós: Empresa com fortíssimo nome o que ajuda a fortalecer o CV. Benefícios são ótimos.

    Contras: Muita pressão. Pouco reconhecimento onde acaba refletindo na Participação dos lucros no fim de ano. Menosprezo por grande parte dos funcionários por possuírem cargos ou trabalharem em setores mais valorizados.

    Conselhos para presidência: Todos os funcionários dentro da empresa são dignos. Trate-os melhor pois, o mesmo que menosprezaram, são os mesmos que vão buscar o pão do café da manhã que vocês se alimentam.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há quase 2 anos

    Paga-se muito bem

    Ex-funcionário, saiu em 2015

    São Paulo, SP


    Prós: bons benefícios, salário acima da média e boa localização. Funcionários do RH sempre abertos a ajudar.

    Contras: Gestores despreparados. Muitas vezes o gestor tem muitos anos de casa e assim consegue cargos altos, mas sem nenhuma preparação para lidar com pessoas.

    Conselhos para presidência: Um bom salário não é tudo. Prezem mais pela qualidade de vida dos funcionários.

    Recomenda a empresa: Sim

  • Há 8 meses

    Bons benefícios, ambiente OK, cobrança exagerada e gerencia confusa.

    DesenvolvedorEx-funcionário, saiu em 2017

    São Paulo, SP


    Prós: Os benefícios da empresa são muito bons, tanto de salário, quanto vales, o ambiente aberto sem paredes é muito bom e dando um ar de que todos estão no mesmo patamar. Os cologas de trabalho, em geral, são bastante solícitos e ajudam no que for possível, geralmente estão dispostos a explicar os processos do banco e aspectos tecnicos se necessário.

    Contras: Cobrança velada que se trabalhe mais do que 8 horas por dia, sem receber por isso. Ninguém diz isso, mas parabenizam quem faz e quem não faz é recriminado de certa forma. A empresa tem um limite de funcionários (headcount) estabelecido pela matriz em NY, porém esse número é baixo para demanda de trabalho, então, como solução, a empresa abre programa de "trainee", que de trainee só tem o nome e contrata muitos estagiários, a maioria desses empregados é teporário e fica de um a dois anos na empresa. Os processos de contratação, promoção e bonificação são bastante obscuros, ninguém sabe dizem como funcionam.

    Recomenda a empresa: Não


Informações da empresa

Credit Suisse

Descrição:Criado em 1856, na Suíça, o Credit Suisse Group é um banco de investimento e provedor de outros serviços financeiros. No Brasil, cheou em 1998, ao adquirir o Banco de Investimentos Garantia, então especialista de Investment Banking, e passou a se chamar Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston Garantia. Em 2006, seu nome mudou novamente, dessa vez se tornou o Banco de Investimentos Credit Suisse, sendo uma das mais respeitadas instituições financeiras no país.

Site

RH: quer atrair bons talentos?