Love Mondays


Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Credit Suisse?

100 postagens (31 avaliações nos últimos 12 meses)


Satisfação geral dos funcionários

3.00
  • Remuneração e benefícios
    4.43
  • Oportunidade de carreira
    2.63
  • Cultura da empresa
    2.50
  • Qualidade de vida
    2.20

Recomendam a empresa a um amigo



  • Há 17 dias

    Carga horária excessiva

    Analista Financeiro

    São Paulo, SP


    Prós: Pagamento de beneficios é feito em dia. Tem pessoas com bom conhecimento do trabalho. Empresa solida, pelo porte que possui. Boa localização tambem

    Contras: O Credit não paga hora extra, e não informa isso na entrevista. É cultura do banco enrolar, ter um almoço prolongado e tomar vários cafés durante o dia para fingir que se trabalha muito e sair entre 22h-00h (em algumas áreas como o IB é mais tarde). Quem cumpre suas tarefas e sai 19h é criticado por não se dedicar o suficiente e é penalizado no bonus e nas avaliações. O bônus de 1o ano é ruim, pois já existe um discurso institucional pronto de que "é uma maratona, e não uma corrida de 100 metros", independente da contribuição que o funcionário tenha feito. O bonus começa a melhorar um pouco no 2o ano.

    Conselhos para presidência: Avaliar e valorizar os funcionários por performance e produtividade, não pelo número de horas passadas dentro do banco.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 22 dias

    Experiência lamentável

    Associate

    São Paulo, SP


    Prós: Benefícios, localização e instalações da empresa.

    Contras: Infelizmente pontuo como a pior experiência profissional que já tive, pois tudo foi realmente muito frustrante. Essa empresa tem um dos piores ambientes de trabalho que já conheci, existe muita pressão, carga horária muito pesada, querem que você trabalhe além do seu horário todos os dias (mesmo que não seja necessário), pois caso não faça isso você é mal visto, algumas pessoas são extremamente frias e preconceituosas e não tratam o funcionário com o devido respeito, não medem palavras para falar com os outros, é um lugar que eleva seu grau de estresse de maneira muito fácil e se você não souber lidar com isso, pode ficar depressivo em pouquíssimo tempo. É uma situação lamentável, pois é um banco com ótimas instalações e muitas pessoas inteligentes e tinha tudo para ser uma das melhores empresas para se trabalhar, porém a ambição e a soberba da maioria das pessoas que detém o poder lá dentro, transforam esse possível sonho em quase pesadelo. Por isso, pense bem caso você receba uma proposta, provavelmente será muito atrativa financeiramente, o que no fundo faz sentido, pois só o alto ganho financeiro pode pagar o que você passará lá dentro. Portanto, não se iluda com promessas.

    Conselhos para presidência: Enquanto o dinheiro for o único objetivo dessa empresa, será bem difícil essa situação ser mudada. Pensem que vocês trabalham com pessoas, com seres humanos, com sentimentos, com necessidades... que antes de agradarem clientes externos, o principal seria cuidar dos clientes internos, a força de vocês está no nosso trabalho, mas não somos máquinas, somos pessoas e merecemos respeito, temos limites. Quando mudarem esse pensamento e começarem a ter mais empatia por todos, não precisará de tanta pressão para ver resultados, pois eles virão de maneira totalmente natural e mais satisfatória.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 25 dias

    Arrependimento de ter ido pra lá. Não somos considerados humanos, e sim números

    Gerente ComercialEx-funcionário, saiu em 2017

    São Paulo, SP


    Prós: Os benefícios financeiros são os diferenciais. Não há outros que se destacam. Se considerarmos os sistemas e plataformas são bons em comparação a outros Bancos

    Contras: Em troca de tudo que você recebe, exige-se sua saúde. É uma experiência insalubre. Não recomendo. Os Gestores não são profissionais. É uma pressão enorme e desrespeitosa para cada tarefa que te passam. RH é indiferente.

    Conselhos para presidência: Procurar identificar e coibir os abusos que ocorrem no banco. Incentivar o RH à ser mais atuante, como ocorre em outros bancos

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 1 mês

    Ruim. Falta processo justo e supervisionado de avaliação e de feedback.

    AssociateEx-funcionário, saiu em 2017

    São Paulo, SP


    Prós: Bom café da manhã, equipe de TI é boa e dá bom suporte para arrumar os computadores, a localização do prédio do Credit Suisse é boa também (perto da Faria Lima)

    Contras: Não há plano de carreira, você nunca sabe se vai ser demitido ou promovido. Funcionários não recebem orientação construtiva do que podem melhorar. Todo o processo de avaliação é nebuloso e obscuro - gestores avaliam funcionários como querem. Se você tem uma boa relação com seu chefe, você é bem avaliado. Se você trabalha muito, é esforçado e performa, mas seu chefe não gosta de você, você será mal avaliado e ninguém irá interceder ou questionar a sua má avaliação.

    Conselhos para presidência: Dar mais feedback construtivo para os funcionários, deixando claro quais aspectos podem ser melhorados. Dar expectativas realistas e verdadeiras para os funcionários, indicando se os mesmos poderiam assumir mais responsabilidade, se poderiam ser promovidos, ou se correm o risco de ser demitidos. Falar a verdade ao invés de omitir ou mentir.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 2 meses

    Esqueça suas férias, você ficará trabalhando

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2017

    São Paulo, SP


    Prós: Faz um link com o nome Garantia, que era um banco bem sucedido e famoso. Paga em dia os funcionários, oferece bonus anual tambem. Tem plano de saude.

    Contras: Em muitas áreas, funcionários mais "júniores" não podem tirar 1 mês de férias, e acabam sendo compelidos a vender o máximo de dias permitido. Na prática, acabam tirando ou 1 ou 2 semanas por ano, e nada data escolhida pelo chefe. Nunca é possível emendar feriado ou tirar day "off". Por outro lado, diretores e funcionários mais sêniores tiram mais de 1 mês de férias por ano, emendam feriados, faltam sem avisar. Porém subordinados são sempre mantidos na "rédea curta".

    Conselhos para presidência: Em primeiro lugar, deixem os funcionários gozarem 1 mês de férias (direito) se eles quiserem. O RH poderia ser mais participativo e monitorar isso, para evitar que chefes pressionem os funcionarios para que os mesmos tirem 1 ou 2 semanas apenas.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 3 meses

    Gestores cheios de soberba e vaidade. Estudo não é valorizado.

    Analista PlenoEx-funcionário, saiu em 2017

    São Paulo, SP


    Prós: Empresa faz pequena comemoração mensal para os aniversariantes do mês. O pagamento do salário é feito em dia, sem atraso. Tem bons auxilios de saude e odontologico.

    Contras: Funcionários (especialmente gestores) tem muita soberba, e se consideram superiores à pessoas de outros bancos simplesmente por ganharem um salário fixo um pouco maior. Frequentemente fazem comentários auto-elogiativos, ao mesmo tempo em que fazem comentários desmerecedores para outros bancos. O Credit Suisse não estimula e não valoriza o estudo ou a qualificação - é comum ver funcionários antigos com muitos anos de casa que não possuem faculdade e que menosprezam quem fez, dizendo que faculdade não serve pra nada. Não há incentivo para estudar, e nem tempo (carga horária pesadíssima). Alguns colegas pediram para sair às 19hrs para fazer mestrado, propondo que voltariam pro banco às 23hrs pra terminar as rotinas, mas foram mal vistos internamente e o pedido foi negado, apesar de eles começarem a jornada de trabalho cedo (08:00h) e passarem o dia todo trabalhando.

    Conselhos para presidência: Concientizar os funcionários do Credit de que eles não são superiores à ninguém. Estimular mais o estudo, dando incentivos e condições para os funcionários se qualificarem.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 3 meses

    Analista IIIEx-funcionário, saiu em 2017

    São Paulo, SP


    Prós: O café da manhã é bom, os computadores são novos, a localização do prédio (e o prédio) são bons, o salário é pago em dia, banco de time de TI que ajuda a configurar computadores

    Contras: 1. Não há plano de carreira 2. A carga horária pesadíssima não permite que o funcionário estude ou faça pós graduação/mestrado 3. Há grande pressão dos chefes para que se tire no máximo 2 semanas de férias por ano (os VPs, Diretores e MDs tiram muito mais) 4. Ambiente tóxico. Cultura baseada em ameaças e críticas em voz alta. Sensação de que vai ser demitido, por mais que se trabalhe 5. Conta mais falar e "fazer espuma"do que fazer. Gestores são "espertalhões". Subalternos são sobrecarregados para entregar metas abusivas e não conseguem ter vida pessoal 6. Oportunidades de promoção e de carreira são escassas. Quem é de fora costuma ser bem mais valorizado do que o funcionário interno "carreirista", mesmo se os 2 tiverem backgrounds e formações semelhantes

    Conselhos para presidência: Há necessidade de se repensar a cultura do banco, incluindo implementar mudanças profundas e grandes melhorias na gestão de pessoas.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há quase 2 anos

    O último que sair apague a luz

    Associate

    São Paulo, SP


    Prós: Ainda tem um nome que é respeitado em outros lugares As instalações e os computadores estão em bom estado O café da manhã é bom

    Contras: Os bonus foram diminuindo muito nos ultimos anos, e para muitas areas (incluindo de Front) já são em linha ou abaixo dos bonus dos outros principais bancos. É preciso entender bem que o Credit Suisse não é mais o Garantia, e nem paga mais como o mesmo. O Garantia era um banco em que todos eram muito remunerados; no Credit Suisse, isso é verdade apenas para a diretoria. Existe muita pressão, e as horas de trabalho são bem superiores do que em outros bancos. O ambiente é desrespeitoso. Depois de alguns anos lá percebi que era um erro continuar; o discurso e as promessas que contam nas entrevistas são desalinhados com a realidade. A maioria dos chefes tem perfil ou muito técnico ou muito comercial; entretanto, praticamente não se vê chefes com habilidade ou preparação para gerir pessoas no banco. Ha grande descaso e falta de comprometimento com um plano de carreira ou aprendizado dos funcionarios.

    Conselhos para presidência: Invistam mais nos funcionarios, e respeitem mais os mesmos. Criem um ambiente de trabalho melhor. Se não puderem remunerar os funcionarios bem, parem de exigir que os mesmos trabalhem até de madrugada e nos fins de semana. Sejam mais coerentes. Sejam verdadeiros.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há quase 3 anos

    Analista de MercadoEx-funcionário, saiu em 2015

    São Paulo, SP


    Prós: Remuneração em linha com o mercado (levemente superior em alguns casos) Predio tem boa estrutura

    Contras: A falta de oportunidades internas predomina no banco - exceto por estagiários, a grande maioria das vagas é preenchida por pessoas de fora do banco, através de indicações. Quem não tem experiência prévia em uma determinada área não recebe oportunidade de trabalhar nela. Ambiente muito desequilibrado - no geral os funcionários são tratados de forma desrespeitosa pelos chefes e gestores. Não existe flexibilidade nos horários - muitas vezes não dá tempo nem de almoçar ou de ir ao banheiro. Impossível fazer uma pós. Ambiente nao estimula a criatividade. No geral há falta de guidance e de coaching em muitas áreas. Ao invés disso, apenas pressão e piadas de mal gosto. Se tira no maximo 2 semanas de ferias por ano - a outra todo mundo vende (quase compulsoriamente) e a outra é perdida. Essa costuma ser a regra imposta pelos gestores.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há quase 3 anos

    Ambiente terrível dominado por promessas vazias e por sociopatas

    Assistant Vice President

    São Paulo, SP


    Prós: A remuneração fixa é boa O CS tem um nome forte, que pode ajudar e encontrar emprego em outro lugar Tem muitas pessoas capacitadas lá, com as quais é possível aprender

    Contras: Praticamente não existem gestores de pessoas na empresa, mas somente chefes com perfil sociopata que constantemente pressionam os funcioários no limite, cometendo uma série de abusos e desrespeitando a sua vida pessoa. Me sentia coagido a tirar férias, e quando conseguia 10 dias o banco me fazia sentir que era um favor, e não um direito. Obviamente quem escolhia a data das minhas férias era o meu chefe, mesmo eu tentando me planejar e conversar, ele decidia tudo. Há uma pressão para as pessoas irem embora tarde, mesmo que você já tenha feito o seu trabalho. Quem vai embora antes é mal visto e alto de brincandeiras desrespeitosas. Durante todo o tempo que tenho estado no banco, tenho a sensação de que estou no limite para ser mandado embora, apesar de total dedicação e de trabalhar em vários finais de semanas. O banco consegue colocar essa sensação em você, e por melhor que você trabalhe as pessoas do CS não costumam elogiar; pelo contrário, criou-se a cultura de que qualquer erro é muito grave e que merece muitas críticas, muitas vezes com palavrões e em voz alta. O banco praticamente não oferece oportunidades internas, apesar de ter o discurso oposto nas entrevistas de contratação. O banco faz o funcionário do back office se sentir inferior e menos importante, e consegue por na sua cabeça que se você não for para o front office você será um fracassado. Como não existem oportunidades, a competição é grande, os bonus do back são simbolicos e também não existem muitas oportunidades de promoção no back, aquilo se torna uma panela de pressão infernal, que te faz odiar o trabalho e se sentir muito mal. Conheço muitas pessoas que se sentem assim, além de mim. A diretoria faz vista grossa a tudo, e só se preocupa com os respectivos bonus - não há investimentos e um projeto de carreira para ninguém. Enfim, um lugar para se adquirir experiência, para juntar algumas reservas e depois sair o mais rápido possível, enquanto restar alguma humanidade em você.

    Recomenda a empresa: Não


Informações da empresa

Credit Suisse

Descrição:Criado em 1856, na Suíça, o Credit Suisse Group é um banco de investimento e provedor de outros serviços financeiros. No Brasil, cheou em 1998, ao adquirir o Banco de Investimentos Garantia, então especialista de Investment Banking, e passou a se chamar Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston Garantia. Em 2006, seu nome mudou novamente, dessa vez se tornou o Banco de Investimentos Credit Suisse, sendo uma das mais respeitadas instituições financeiras no país.

Site

RH: quer atrair bons talentos?