Love Mondays


Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Credit Suisse?

130 postagens (54 avaliações nos últimos 12 meses)


Satisfação geral dos funcionários

2.80
  • Remuneração e benefícios
    4.17
  • Oportunidade de carreira
    2.55
  • Cultura da empresa
    2.40
  • Qualidade de vida
    2.25

Recomendam a empresa a um amigo


  • Há 12 dias

    Fraco

    Analista FinanceiroEx-funcionário, saiu em 2018

    São Paulo, SP


    Prós: Autonomia e liberdade para os chefes criarem e produzirem . Mobilidade internacional (embora seja dificil). O café da manhã é completo. A estrutura e os equipamentos de trabalho são legais

    Contras: Profissionais despreparados, juniores demais. Cada um por si. Departamentos fracos e com individualismo extremo. Pessoas são frias e se tratam como inimigos. RH é distante e não intervém em nada.

    Conselhos para presidência: Propor treinamentos. Arrumar funcionarios mais seniores e experientes. Melhorar a cultura.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 23 dias

    Ainda tem MUITO a melhorar

    Assistant Vice PresidentEx-funcionário, saiu em 2018

    São Paulo, SP


    Prós: Quantidade de benefícios, planos de saúde e plano odontológico, muito trabalho, algum aprendizado...localização externa interessante, nome conhecido

    Contras: São vários... Microgestão extrema, completa falta de interesse em motivar os funcionários, empresa hierarquizada com muitos processos, tornando trabalho engessado e desgastante sem conseguir entregar real valor. Desonestidade corporativa extremamente disseminada. Dinamica de trabalho pesada e lenta. Ambiente desmotivador. Gestores ultrapassados e sem visão, mais preocupados com o salário no fim do mês do que com o bem da equipe. Plano de carreira muito fraco, chega-se ao limite do esgotamento profissional... muitos e muitos anos sem promoção (especialmente no back office e nas áreas de suporte)... falta de reconhecimento, politicagem interna, não há meritocracia, promovem pessoas despreparadas...

    Conselhos para presidência: Fechar e abrir de novo

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 1 mês

    Uma empresa ruim

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2017

    São Paulo, SP


    Prós: A escala torna o banco interessante, pois é possível acompanhar o que o banco faz em outros países. O nome "Credit Suisse" é conhecido, pode ser legal ter no CV

    Contras: O banco não é tocado de forma profissional. A autonomia dos diretores e gestores é grande demais, cada um toca sua área como se fosse "sua casa", muitas vezes passando por cima de regras básicas de respeito, ética, educação. Muitos excessos e abusos são vistos com normalidade, os funcionários acabam tendo que "engolir muito sapo". "É a cultura do banco, é assim mesmo" dizem... mas pra quem chega de fora pode ser chocante e decepcionante ver e passar por certas coisas. O pagamento oferecido não compensa essas coisas de forma alguma.

    Conselhos para presidência: Dar treinamentos pra mudar a cultura do banco. Melhorar o clima do ambiente de trabalho, exigindo que as pessoas tratem as outras com mais respeito e consideração.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 1 mês

    Impressão ruim

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2018

    São Paulo, SP


    Prós: Banco grande e conhecido no mercado financeiro. Promove palestras nas faculdades. Possui várias áreas, o que permite um maior match com o perfil de cada um.

    Contras: Pouco guidance pro estagiario. Carga horária muito pesada. No geral as pessoas não parecem muito legais, o clima é meio que uma mistura de ambiente competitivo com mal estar... os feedbacks dos chefes muitas vezes não são construtivos, dá a impressão de que não estavam preparados para virarem chefes e gerir pessoas

    Conselhos para presidência: É preciso uma série de ajustes no banco...no clima das áreas...na postura das pessoas...dos chefes...na forma desrespeitosa que alguns chefes falam com voce

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 2 meses

    Cobrança excessiva e desorganizada

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2016


    Prós: Ainda tem muita gente boa trabalhando lá, embora o banco esteja perdendo talentos. Nome reconhecido, presença global, solidez financeira (empresa de grande porte).

    Contras: Gerência desorganizada e confusa. Excesso de cobrança. Todos são pressionados ao limite, e acabam pressionando quem está em baixo também - já vi até funcionários passarem mal de tanto nervosismo e pressão. Rítmo de trabalho é alucinante, é necessário "matar um leão por dia". Acaba sendo insustentável. O Turnover é altíssimo (minha antiga área já chegou a ter 40% do quadro renovado em um ano).

    Conselhos para presidência: Mais organização e clareza no que voces querem. Estabeleçam metas claras e possíveis - do jeito que está só vejo uma cobrança pesada de todos os lados, pessoas fazendo mil coisas sem saberem a finalidade ou se está sendo feito da melhor forma...

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 2 meses

    Credit Suisse: Bonus não compensa certos excessos e abusos

    Assistant Vice PresidentEx-funcionário, saiu em 2018

    São Paulo, SP


    Prós: O banco tem muitas áreas com processos já estruturados e com pessoas com experiência, o que facilita o aprendizado (embora nem todos gostem de colaborar). É uma empresa com nome conhecido no mercado financeiro.

    Contras: O banco tem um tratamento de certa forma irresponsável com os funcionários: o discurso interno faz todos nutrirem uma expectativa de se ganhar um bonus grande (o que já não é mais uma realidade), e por conta disso as pessoas se submetem à excessos e abusos que não deveriam ocorrer em uma empresa desse porte. Dessa forma, os funcionários acabam sendo tratados de uma forma desrespeitosa, acabam não gozando do período legal de férias, e acabam tendo que trabalhar numa carga horária superior à prevista, incluindo períodos como feriados e fim de semana. O bonus acaba se tornando uma ferramenta de manipulação dos funcionários, quando o mesmo deveria ser usado para conceder uma participação dos lucros, levando em conta o mérito e a contribuição de cada um. Por isso, definitivamente não concordo quando ouço frases como "você sabia que era assim e aceitou, não reclame" ou "você recebe bonus para compensar esses pontos". Essa mentalidade precisa mudar, e já mudou em outros países onde o banco tem filiais.

    Conselhos para presidência: Rever o conceito do bonus, procurando usá-lo para premiar os funcionários que tiveram uma contribuição relevante, e não como desculpa para que excessos sejam permitidos.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há aproximadamente 2 meses

    Estágio - Lidaram com minhas expectativas de forma irresponsável

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2018

    São Paulo, SP


    Prós: É uma empresa que já está no Brasil há vários anos e que atua em diversos segmentos diferentes. Tem uma boa estrutura e realiza os pagamentos em dia.

    Contras: Poucas oportunidades de efetivação para estagiários - na minha área, de cada 10 ou mais, apenas 1 era efetivado. O banco não tem transparência com os funcionários, nenhuma informação é compartilhada, tanto com efetivos quanto com estagiários. Depois que saí fiquei sabendo que 3 meses antes do meu contrato acabar já tinha ficado decidido que nem eu nem vários dos estagiários que estavam se formando seriam efetivados - mas não me disseram nada, nem quando eu perguntava, sempre me davam esperanças...fizeram isso para poderem aproveitar nossa mão de obra até a última gota. Nesse período final eu "dei o gás", me prejudiquei na faculdade, deixei de ir à outras entrevistas...me arrependo de ter ficado "comprado" nas esperanças que os chefes nunca deixaram de dar, embora eles já soubessem qual seria o final do filme.

    Conselhos para presidência: Ser mais sincero e ter mais transparência com os estagiários e funcionários. Parar de ocultar a verdade e de "dar esperanças" para os funcionários, mesmo quando já se sabe que não será possível cumprí-las.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 2 meses

    Não há visão de longo prazo nem carreira

    Vice-PresidenteEx-funcionário, saiu em 2017

    São Paulo, SP


    Prós: A estrutura física do banco é bacana (prédio, computadores, salas de reunião, time de suporte). O nome Credit Suisse é uma referência conhecida no mercado financeiro.

    Contras: O banco não tem visão de longo prazo - como funcionário do banco, eu via que era infactível vislumbrar uma carreira . Diferente de outros bancos, que investem no funcionário, pagam MBA, proporcionam experiências diferentes em áreas diferentes, e no final de tudo formam executivos preparados para liderar o banco e gerir pessoas, o Credit Suisse infelizmente não forma ninguém - o foco está apenas na execução repetida do trabalho durante uma carga horária bem acima da média. É com pesar que vejo talentos com 10 anos ou mais de banco e com experiências valiosas serem demitidos, apenas porque o banco julga que não precisa mais deles hoje. Em outros bancos, demissões de talentos não acontecem dessa forma - os talentos teriam sido retidos e realocados temporariamente em outras áreas (6 meses, 1 ano...) até surgir uma oportunidade adequada. Mas o Credit não costuma ter esse tipo de visão. Se ele julga que não precisa de um funcionário hoje, ele demite hoje. Como consequência disso (e de outros problemas também), hoje o Credit tem um corpo técnico e comercial preparado para executar bem as tarefas do dia a dia, mas não tem nenhum líder, nenhum gestor, nenhum executivo com uma visão do todo.

    Conselhos para presidência: Desenvolver planos e políticas capazes de reter, motivar e desenvolver os funcionários no médio-longo prazo. Levar em conta que os funcionários gostariam de poder vislumbrar uma carreira e de sentir que o banco investe neles. Pensar no futuro, e não apenas no curtíssimo prazo, no resultado do ano.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 2 meses

    Negativa

    Assistant Vice President

    São Paulo, SP


    Prós: Bons salários, bons sistemas de informática, computadores e instalações do prédio são legais, empresa de grande porte com escritórios em outros países

    Contras: Poucas e demoradas oportunidade de crescimento - estagnação na base de MDs e Diretores (que praticamente não trabalham mais). Momentos de satisfação profissional e pessoal são praticamente inexistentes. Metas abusivas, abuso de autoridade, funcionários mesquinhos e arrogantes. Não recomendo.

    Conselhos para presidência: Aos acionistas e ao conselho de administração, eu recomendo renovar o management do Credit Suisse no Brasil. Usar consultorias para traçar uma nova cultura e novas práticas empresariais para o banco, com o mínimo de foco no bem estar dos funcionários.

    Recomenda a empresa: Não

  • Há 2 meses

    Estágio foi decepcionante, não quero mais

    EstagiárioEx-funcionário, saiu em 2018

    São Paulo, SP


    Prós: Possibilidade de ter contato com pessoas do mercado financeiro de diversas áreas diferentes. Programa de estágio pode ser uma porte de entrada se voce vier a ser efetivado

    Contras: Horas demais de trabalho, falta de consideração e de respeito com o estagiário. Na faculdade assisti uma palestra do banco em que o discurso era bonito e convidativo, quando comecei a estagiar me senti numa selva, cada um por si, rodeado por pessoas zangadas, competitivas, egoístas e que não estão preocupadas com o seu bem estar nem o seu desenvolvimento. Grande decepção...

    Conselhos para presidência: Falta liderança no banco. Falta alguém que monitore como os estagiários e os efetivos são tratados.

    Recomenda a empresa: Não


Informações da empresa

Credit Suisse

Descrição:Criado em 1856, na Suíça, o Credit Suisse Group é um banco de investimento e provedor de outros serviços financeiros. No Brasil, cheou em 1998, ao adquirir o Banco de Investimentos Garantia, então especialista de Investment Banking, e passou a se chamar Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston Garantia. Em 2006, seu nome mudou novamente, dessa vez se tornou o Banco de Investimentos Credit Suisse, sendo uma das mais respeitadas instituições financeiras no país.

Site

RH: quer atrair bons talentos?