Love Mondays


Ver avaliações para empresas similares

Como é trabalhar na Colégio Doze de Outubro?

1 postagens (0 avaliações nos últimos 12 meses)


Satisfação geral dos funcionários

0.00
  • Remuneração e benefícios
    0.00
  • Oportunidade de carreira
    0.00
  • Cultura da empresa
    0.00
  • Qualidade de vida
    0.00

Recomendam a empresa a um amigo



  • Há mais de 2 anos

    A cabeça não pensa e o corpo padece

    AnalistaEx-funcionário, saiu em 2014

    São Paulo, SP


    Prós: - Os colaboradores, em geral, são pessoas educadas, cordiais e dispostas a ajudar. - Benefícios como refeitório no local, por exemplo, são estendidos a estagiários e aprendizes. - A pausa para café é respeitada pelos gestores. São 15 minutos de manhã e 15 minutos a tarde. - Salário e benefícios sempre pagos no dia certo. - Banco de horas respeitado rigorosamente pelos gestores. Não existe isso de "nunca dá para tirar".

    Contras: Sabe aquela frase "Quando a cabeça não pensa o corpo padece"? Pois é. E o que é a cabeça de uma empresa se não a direção, não é mesmo? O Colégio, infelizmente, passa por uma gestão que pouco conhece as atividades dos seus subordinados ou até mesmo os seus clientes (alunos e pais), ficando sempre a par dos acontecimentos por terceiros, que nem sempre são neutros em suas avaliações. Isso causa muitas situações chatas, como demissões e promoções injustas. Como parece ser moda nas gestões atuais, há "muito cacique para pouco índio", sobrecarregando algumas pessoas e deixando outras completamente "avulsas". Há uma forte tendência na direção a se deixar levar por amizades, pois é claramente percebido muita insegurança e pouco profissionalismo. Por exemplo, se você for amigo, mesmo que fale coisas absurdas, será ouvido. Trabalhar nos finais de semana não acontece com muita frequência (uns 2 eventos por mês), mas a pessoa é praticamente obrigada a ir, ou fica "queimada". As vezes tem que ir mesmo sabendo que não terá que fazer nada no evento, pois, como eu disse, a direção não tem muita noção das tarefas executadas e prefere sempre garantir a presença do máximo de pessoas possíveis. O que era mais preocupante, na verdade, eram algumas situações aonde gestores gritavam ou mesmo ofendiam seus subordinados na frente de outras pessoas. Isso era comum por lá, mas, claro, variava de gestor para gestor.

    Conselhos para presidência: Ouçam mais os seus colaboradores, não somente os "gestores". Com certeza vocês irão descobrir a razão por trás de muitas situações.

    Recomenda a empresa: Não

Informações da empresa

Colégio Doze de Outubro
RH: quer atrair bons talentos?