• Empresas
  • Salários
  • Entrevistas
  • Vagas

Salários de Analista Sênior

Empresa Salário Localização
Itaú Unibanco (Itaú BBA e Rede) - Analista Sênior R$ 8.694 Brasil
Accenture - Analista Sênior R$ 5.167 Brasil
Telefônica Brasil (Vivo) - Analista Sênior R$ 6.004 Brasil
Santander - Analista Sênior R$ 7.901 Brasil
LATAM Airlines Group - Analista Sênior R$ 7.595 Brasil
Serasa Experian - Analista Sênior R$ 7.040 Brasil
B3 - Analista Sênior R$ 9.658 Brasil
Grupo Boticário - Analista Sênior R$ 7.142 Brasil
Whirlpool - Analista Sênior R$ 7.968 Brasil
Deloitte - Analista Sênior R$ 3.852 Brasil
Último salário postado - 15/10/2018
Ver salários publicados:

Salário médio bruto

4098 Postados

R$ 7.059/mensal

min. máx.

R$ 721 R$ 95.000

Gráfico de variação salarial

Buscas Relacionadas: Analista de Suporte Sênior Analista de Sistemas Sênior Analista Financeiro Sênior Analista de Negócios Sênior

Quanto um Analista Sênior ganha?

O salário médio para Analista Sênior é de R$ 7.059/mensal. O salário pode variar de R$ 721 a R$ 95.000. Esta estimativa salarial tem base em 4098 salário(s) postados por funcionário(s) no Love Mondays para este cargo.

O que um Analista Sênior faz?

“Analista” é um termo genérico utilizado para designar alguém que revisa e examina dados e informações de uma área específica em uma empresa. Geralmente, o cargo de analista é preenchido por alguém que possui nível superior e conta com capacidades analíticas. Por ser um cargo de entrada em uma empresa, não inclui ainda tarefas de gerenciamento, já que um analista está focado em uma área específica, que pode ser de pesquisa, planejamento, produção, marketing, comunicação, vendas, tecnologia ou recursos humanos.

1 - 10 de 1.325 empresas

1 - 10 de 1.325 empresas

Cargos Média Salarial
Saiba mais
* Valores de salários são aproximados, em valores brutos e incluem somente remuneração fixa. Todos dados são postados por usuários do Love Mondays, sendo que as empresas não necessariamente endossam ou concordam com os valores aqui mostrados. Salários postados há mais de 4 anos não são publicados e os demais são corrigidos conforme inflação anual.