Série empoderamento feminino: conquistas no mercado de trabalho e desafios

0

As mulheres enfrentam desafios no mercado de trabalho desde que começaram a lutar de igual para igual com os homens, conciliando vida profissional com pessoal e outras tarefas realizadas em sociedade. Embora muito já tenha sido feito, ainda falta muito para que mulheres tenham acesso às mesmas oportunidades e remunerações profissionais que os homens. Uma boa notícia, no entanto, é que a participação da mulher no mercado cresce a cada ano: segundo a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), em 2004 havia 12,5 milhões de trabalhadoras com carteira assinada, número que quase dobrou em 2014, quando chegou a 21,4 milhões, 43,25% do total.

Embora as mulheres ainda sofram com o fato de que certos cargos sejam mais valorizados quando exercidos por homens, que ainda são maioria em algumas áreas, esse cenário vem mudando para a melhor: mulheres têm superado preconceitos – de homens e das próprias mulheres – e assumido posições antes tidas como exclusivamente masculinas.

A capacidade intelectual das mulheres é o grande trunfo que elas têm para lidar com preconceitos e visões pré-estabelecidas de que tal cargo não serve para ela, tal trabalho é coisa de homem e por aí vai. Afinal, se ambos possuem as mesmas capacidades cognitivas e de raciocínio, por que a mulher não pode desenvolver com igual perfeição e atenção uma atividade dominada por homens? É nessa realidade que as mulheres estão hoje, tendo como aliadas as pequenas conquistas do dia a dia, que já representam um grande passo no processo do empoderamento feminino.

Mesmo com resistência, e uma sociedade com fortes traços patriarcais e machistas, o empoderamento feminino tem tomado, cada vez mais, as redes sociais, os programas de televisão e as discussões em geral, engajando cada vez mais mulheres que acreditam na capacidade do sexo feminino. As melhoras alcançadas foram resultado de muita luta das mulheres, mas a jornada ainda é muito longa e, por isso, é fundamental que todos lutemos contra o machismo e o preconceito contra a mulher.

Além do mercado de trabalho, a realidade dentro das próprias casas já está mudando, afinal, não é tarefa exclusiva da mulher cuidar da rotina do lar, dos filhos, das contas e de todas as outras obrigações ali envolvidas. Dividir tarefas é entender que a mulher está modificando, aos poucos, seu papel na sociedade e, assim como o homem, tem aspirações e desafios profissionais, metas e realizações a perseguir. Empoderar a mulher é transformar a sociedade em um ambiente mais justo e igualitário!

No ambiente de trabalho, a mulher pode se empoderar opinando, mostrando a força de suas ideias e ações e, principalmente, ajudando outras mulheres que passem pelo mesmo problema, afinal, juntas somos mais fortes e capazes do que lutando individualmente. Já dizia Ayn Rand: “a questão não é quem vai me permitir, é quem vai me impedir.”

Que a força esteja com vocês, mulheres! Empoderar a mulher é promover uma sociedade mais justa e próspera. #empoderamentofeminino.

Compartilhe.