Segredos que recrutadores não contam (mas gostariam de contar)

0

Os recrutadores podem até parecer intimidadores durante as entrevistas de emprego, mas a verdade é que eles querem o melhor possível tanto para o candidato quanto para a empresa contratante.

Para chegarem aos candidatos ideais para suas vagas, eles utilizam diversas ferramentas e pequenas táticas que são praticamente segredos para quem está procurando um novo emprego.

Para que você esteja mais preparado para enfrentar seus próximos processos seletivos, vamos desvendar alguns mitos e segredos que os recrutadores não te contam. Preste bastante atenção:

Antes, entenda o papel do recrutador

Ele pode ser um profissional de recursos humanos ou o gestor da área a que a vaga pertence. De qualquer forma, seu papel é entender quais são as necessidades da empresa, equipe ou produto e conectar isso com o profissional ideal.

Por ser um processo criterioso, principalmente para vagas muito específicas, é preciso que o recrutador seja sensível e entenda pontos como a expectativa do candidato, seu fit cultural com a empresa contratante e sua capacidade técnica para assumir a posição. É guiado por esses e outros fatores que ele usará alguns truques e segredos para encontrar o profissional ideal!

1. “Você provavelmente seria melhor pago se tivesse negociado seu salário”

A negociação salarial funciona como um jogo: tanto o candidato quanto a empresa estarão tentando controlar o cenário para vencer. Poucos recrutadores teriam a coragem de dizer que acabam remunerando os profissionais abaixo daquilo que eles poderiam receber.

Algumas empresas possuem faixas salariais e desenhos dos cargos bem claros para todos os funcionários, mas, mesmo nesse cenário, sempre existirá alguma abertura para a negociação. É por isso que tal conversa deve ser levada bem a sério e de maneira transparente, sempre deixando claras quais são suas pretensões e de que forma você está aberto a negociar.

2. “Nem sempre aqueles com melhor experiência serão selecionados para uma vaga”

Fatores técnicos não são os únicos na hora de decidir se um candidato é apto ou não para uma vaga: não necessariamente o profissional com mais experiências no currículo conseguirá a oportunidade.

Muitas pessoas não conseguem enxergar esse fator e acabam acusando os processos seletivos de serem parciais e combinados. A verdade é que, durante todas as análises feitas pelo recrutador, ele também está querendo entender se você possui compatibilidade com a empresa contratante em termos de valores, estilo de trabalho e comportamento.

Esse é um critério que não só leva benefícios para a empresa (como uma menor rotatividade por ter pessoas que se encaixem bem naquele ambiente de trabalho), mas também é uma forma de você não cair em um emprego que não tenha a ver com o seu perfil e seus objetivos.

3. “Alguns processos seletivos já utilizam a inteligência artificial em análises de currículo”

Dependendo da empresa, qualquer vaga aberta receberá centenas de candidaturas, ou seja, um grande volume de currículos para se analisar no início dos processos seletivos.

Analisar cada currículo recebido ocupa um bom tempo na agenda do recrutador e, pensando nisso, empresas de tecnologia com produtos voltados para o RH desenvolveram ferramentas que facilitam a triagem de candidatos ao realizar uma leitura inicial nos currículos, buscando palavras-chave ou outros elementos que são interessantes para aquela vaga.

Isso destaca a importância de se colocar palavras-chave e sempre adaptar outros elementos do currículo conforme as especificações da vaga, definindo quais são suas especialidades ou aquilo que você quer desenvolver em sua próxima oportunidade profissional.

4. “Se seu currículo parecer confuso ou poluído na primeira batida de olho, provavelmente será descartado”

Como já citamos em outro artigo, a visualização de um currículo pelo recrutador dura em média 30 segundos, tempo suficiente para saber se um candidato deve ser mantido ou desclassificado de um processo seletivo.

Por isso, evite usar um layout confuso ou utilizar muito texto. Pense sempre na experiência que o recrutador terá lendo seu documento: se você achar que ele está prático, de fácil leitura e comunica o que precisa de uma maneira ágil, seu CV está pronto para ser distribuído por ai.

5. “Basta uma gafe para que suas chances de contratação sejam extintas”

Construir uma imagem positiva durante o processo seletivo é algo crucial para a sua contratação. Se o recrutador tiver uma má impressão, duvidar de suas capacidades técnicas ou achar que seu comportamento foi inadequado, você será descartado da seleção.

Dentro desse contexto, destaca-se a importância de causar uma boa impressão não só durante a entrevista de emprego, mas nas trocas de e-mails e em todo tipo de comunicação entre candidato e empresa. Um erro de gramática, por exemplo, pode causar um impacto muito maior do que você poderia esperar.

6. “Seu comportamento nas redes sociais também é crucial para a sua contratação”

A discussão sobre esse ponto pode ser extensa, mas vamos tratar do assunto de maneira prática: a maioria dos recrutadores conferem suas redes sociais para analisar o seu comportamento e o tipo de conteúdo que você publica. A pretensão por trás dessas verificações é entender um pouco mais sobre seu perfil, mais uma vez para analisar se aquela empresa é ideal para você.


Desejamos sucesso em sua busca pelo emprego. Continue navegando no nosso blog para ler mais sobre como conquistar a oportunidade ideal, construir boas relações e gerenciar a sua carreira. 😉

Share.