O que é Employer Branding e como isso ajuda nos negócios?

0

Por Sergio Sabino

Em conversas com profissionais, percebo que ainda estamos distantes da compreensão dos temas estratégicos de RH, que ainda ficam de lado nas decisões de investimento.

Muitas organizações e lideranças não concebem claramente as diferenças entre Employer Value Proposition (EVP), Employer Branding e Cultura Corporativa. Sem um bom conhecimento destes três elementos, não se consegue atuar sobre nenhum problema organizacional de maior relevância, que necessariamente passa por estes conceitos, geralmente interligados.

Em linhas gerais, EVP é um conjunto exclusivo de ofertas e valores para influenciar positivamente candidatos alvo e funcionários. É uma expressão sucinta de todos os benefícios que seus funcionários conseguem aferir pelo fato de trabalhar em sua empresa. De forma simples, é uma consolidação do que faz com que uma pessoa queria ou goste de trabalhar na organização. O ponto de atenção é que algumas organizações cometem o erro de definir seu EVP como gostariam de ser como um empregador, não como realmente são.

O Employer Branding é o processo de promoção de uma empresa ou uma organização, com o objetivo de posicioná-la atrativamente como empregadora através de seus atributos reais.

Ele aumenta a capacidade da empresa em atrair, recrutar e reter os colaboradores ideais, facilitando assim a realização do plano de negócios da empresa. O Employer Branding deve refletir a identidade da empresa como empregadora, garantir que os atributos identificados no EVP sejam efetivamente comunicados e, acima de tudo, praticados.

Já a Cultura Corporativa ou Organizacional que molda a maneira que seus membros se comportam dentro da organização. Em todas as organizações existem valores, símbolos, rituais e práticas que foram se desenvolvendo com o tempo, geralmente, de forma natural. A cultura condiciona a forma como os funcionários percebem a empresa e como respondem a seus problemas e desafios, influenciando diretamente os resultados alcançados. É a personalidade da organização.

Em suma, a cultura corporativa é o conjunto de hábitos e práticas que se consolidam pela própria organização e seu funcionamento. O EVP é o extrato dos atributos que fazem com que seus colaboradores permaneçam e a promovam. E o Employer Branding é o ato de promover e comunicar estes mesmos atributos, para conscientizar e engajar colaboradores.

E como o Employer Branding contirbui com o crescimento da empresa?

Uma série de dados ajudam a contextualizar estes benefícios. O Estudo do Linkedin chamado “Why your employer Brand matters” traz alguns dados interessantes das principais empresas do mundo:

A marca empregadora forte:

  • É 2 vezes mais poderosa em atração de candidatos que a marca de consumo;
  • Aumenta a fidelidade do novo contratado em cerca de 29%.
  • Reduz acréscimos no pacote salarial de contratação em cerca de 50%.
  • Tem 50% mais possibilidade de atrair candidatos passivos
  • É especialmente importante para profissionais jovens e média senioridade (até 40 anos)

As lideranças precisam prestar atenção a este movimento, atrair e proteger seus quadros por meio de uma série de ações concretas, factíveis e engajadoras. Organizações sérias e preocupadas com a questão tomam diversas providencias neste sentido e colhem bons frutos.

Todas estas atividades, entre muitas outras, diminuem o risco de a organização enfrentar perdas importantes de seu capital intelectual, aumentam a produtividade e criam um círculo virtuoso de atração e retenção. E esta combinação é chave para trazer o que toda organização persegue: RESULTADO!

Sergio Sabino é Country Manager da TMP Worldwide Brasil. Sabino tem mais de 18 anos de experiência nas áreas de Talent Acquisition, Employer Branding, Marketing e Communications. Recebeu o prêmio de Empreendedor em RH 2015 da revista Gestão e RH e já atuou em grandes empresas como PageGroup, BlackRock, Citibank e Ford Motor.

Compartilhe.