Entenda por que é essencial ser honesto no seu currículo

0

Você se lembra de um caso polêmico com o ex-presidente do Yahoo, Scott Thompson, que foi obrigado a deixar seu cargo em 2012 após descobrirem que ele tinha mentido sobre uma graduação universitária em Ciências da Computação? Essa mentira, que teve consequências enormes e devastadoras, pode também comprometer a sua carreira e te desclassificar de um processo seletivo. A arte de “dar um tapa” no currículo, inserindo cursos que não foram completos, idiomas que você não domina ou até experiências no exterior pode ser um grande tiro n’água.

Cada vez mais preparados e treinados para levantar mentiras e descobrir farsas, os profissionais de RH têm diversos artifícios para te fazer cair em contradição, revelando uma mentira que tem o objetivo de melhorar o seu currículo perante os outros, e isso pode manchar a imagem de um profissional de forma irreversível, já que mentir sobre idade, fluência em idiomas, endereço, formação, motivo da saída em empregos anteriores e experiências é considerado uma falha grave no caráter de um profissional.

Uma dica do Love Mondays para que você deixe seu currículo mais atraente sem, no entanto, mentir, é investir na sua apresentação pessoal, fazendo com que o conteúdo do seu currículo seja valorizado. Carisma, boa apresentação e simpatia podem “turbinar” seu currículo muito mais do que cursos ou vários idiomas, pode acreditar.

Em geral, as mentiras mais comuns em um currículo são referentes a:

• Educação
• Datas de entrada e saída de trabalhos
• Cargos
• Habilidades técnicas

Hoje em dia, com as redes sociais, é muito comum que profissionais de recrutamento investiguem seus perfis e busquem pessoas que já trabalharam com você ou antigos empregadores para buscar referências. E é nesse momento que uma mentira é descoberta, fazendo com que você perca uma vaga ou seja até demitido, caso já tenha sido contratado.

Para evitar que você caia na armadilha de aumentar informações em seu currículo, listamos, a seguir, alguns pontos que devem ser observados e obedecidos pelo bem da sua carreira. Confira:

• Não minta sobre os meses ou anos em que você ficou desempregado: procure explorar os trabalhos que você fez nesse meio tempo. Projetos ou ações voluntárias contam muito, sabia?

• Adicione funções extras que você exerceu em empregos anteriores: sabe quando um colega de outro setor foi demitido e você assumiu por um tempo as suas atividades? Especifique isso no seu currículo!

• Fale a verdade sobre suas habilidades: se você deseja muito entrar em um curso ou dominar alguma técnica, escreva em seu currículo que está cursando essa disciplina. É bem melhor do que fingir que já domina uma área ou outro idioma, não acha?

Apostando na verdade das informações e utilizando sua capacidade de “se vender” você consegue resultados positivos e, quem sabe, até aquela vaga desejada, mesmo que não preencha todos os requisitos à primeira vista. Lembre-se de que empatia, transparência e sinceridade contam muito mais do que um currículo recheado de formações.

Compartilhe.