O home office funciona para você?

0

Ele está “na moda” e é desejo de grande parte dos profissionais por oferecer flexibilidade de horários, mais conforto, menos estresse com trânsito e intercorrências do dia a dia e, acima de tudo, dar mais liberdade. O home office, prática adotada por muitos autônomos e empreendedores chegou às empresas, que reduzem consideravelmente seus custos permitindo que seus colaboradores trabalhem de casa uma ou duas vezes na semana.

Embora pareça o cenário ideal, em alguns casos o home office esconde armadilhas e situações que prejudicam a vida do profissional, diminuem a sua produtividade e ainda trazem problemas pessoais. Antes de optar por esse sistema de trabalho é preciso avaliar o perfil de cada pessoa e o trabalho que ela desenvolve na empresa. Nós, do Love Mondays, queremos que você tenha satisfação máxima no seu trabalho e, por isso, selecionamos alguns pontos que devem ser estudados antes de você fazer a transição para o home office. Acompanhe!

A primeira condição que deve ser avaliada é se você é o tipo de profissional que trabalha bem sob pressão. Sabe aquela pessoa que precisa de um chefe cobrando o tempo todo para render bem? Nesse caso, o home office é totalmente ineficiente, haja vista que, sozinho em casa, você não terá pessoas para te cobrar, o que pode representar uma diminuição da sua produtividade. Vale, ainda, avaliar a sua família e ver como ela lidaria com essa situação. Se você tem filhos pequenos, cachorro, papagaio e uma casa barulhenta, instalar um home office ali é uma péssima ideia, a menos que você tenha um alto poder de concentração.

Trabalhar no sistema home office exige muito profissionalismo e disciplina, sabia? Se você pensa que vai acordar todos os dias, pegar o computador e trabalhar de pijama, começou mal. Esse desleixo nos cuidados consigo mesmo acaba transparecendo na qualidade do seu trabalho, o que é muito prejudicial. O recomendado para o trabalho no sistema home office é que o colaborador acorde, tome um banho, se vista e se prepare adequadamente. É claro que você não precisa vestir uma roupa social para ficar em casa, mas manter a barba em dia, no caso dos homens, ou uma maquiagem leve, para as mulheres, é fundamental. Já pensou se, de última hora, você precisa fazer uma teleconferência? Estar bem apresentável é fundamental nessas horas.

A disciplina do home office inclui, ainda, resistir às tentações da sua casa, tais como a geladeira cheia de coisas gostosas, a televisão passando aquela série que você adora e até uma piscina em um dia de calor intenso. Você deve, ainda, saber a hora de começar e parar de trabalhar para não passar horas e horas em frente ao computador e nem se dar conta disso. Gerenciar o andamento das suas tarefas e de documentos em um espaço bem organizado também é muito importante para manter a produtividade em alta.

Se você é daquelas pessoas que adora conversar, interagir com os outros, sair para almoçar com os colegas de trabalho e fazer muito network, talvez o home office não seja adequado para o seu perfil. Isso porque trabalhar em casa pode gerar uma sensação de isolamento, além de problemas familiares, distrações e queda de rendimento por conta de problemas domésticos. Alguns profissionais que adotaram o home office e moram sozinhos relatam casos de depressão ou solidão excessiva, já que convivem muito menos com o mundo exterior.

Se você deseja se aprofundar nesse tema, recomendamos que você leia os livros do sociólogo italiano Domenico de Masi, que escreveu, dentre outros títulos, “O Ócio Criativo”. Em suas obras, o estudioso defende a flexibilidade das relações de trabalho, que podem ser melhoradas com a flexibilização dos horários, reduzindo estresse, aumentando a qualidade de vida e a motivação dos profissionais.

Avalie se o seu perfil tem a ver com o home office e, se sim, invista nessa modalidade de trabalho, que pode te trazer inúmeros benefícios!

Compartilhe.