Felicidade que gera lucro ou lucro que gera felicidade?

0

Por Gabrielle Teco

Por onde tenho andado, as pessoas querem saber: afinal, a felicidade no trabalho gera lucro ou é o lucro (compartilhado com os colaboradores) que gera felicidade? Ora, não é uma questão simples. E a minha resposta preferida é sempre bem conservadora: DEPENDE!

Trabalho em uma empresa com uma cultura muito forte, onde crescimento e felicidade são temas que correm juntos e têm o mesmo peso na organização. Isso quer dizer que o resultado é importante, mas a forma como ele é obtido é tão importante quanto. E esta “forma” pode ser traduzida no bem estar e felicidade daquelas que são as verdadeiras protagonistas do resultado: as pessoas.

Se levarmos em conta apenas este tipo de organização, da qual eu faço parte e acredito fortemente, estaríamos sendo injustos com outras tantas que também dão resultado e fazem as pessoas felizes com altos salários e bônus agressivos. Afinal, não é novidade para ninguém que o que funciona para a empresa X não funciona para a empresa Y. Assim como as empresas têm culturas diferentes, as pessoas também deveriam buscar empresas com perfis diferentes, que combinam mais com o seu estilo.

Em outras palavras, a infelicidade no trabalho causada por divergência de valores entre organização e colaborador é culpa de ambas as partes: da empresa, que contratou alguém que não valoriza o que a empresa oferece, e o colaborador, que aceitou trabalhar em um ambiente que tem valores diferentes dos seus.

Então, qual tipo de empresa gera mais lucro? A que investe em 1º lugar na felicidade de seus colaboradores para então gerar o lucro, ou a que valoriza o lucro para compartilhar com os colaboradores e deixá-los mais felizes? A minha conclusão é que ganha esta disputa aquela que souber selecionar melhor, mantendo seus colaboradores alinhados aos valores da empresa.

Ainda que eu acredite que o caminho da felicidade que gera lucro torna a jornada melhor e o futuro mais sustentável, como profissional do RH entendo que os dois modelos dão certo, desde que todos entendam e joguem as regras do jogo.

 

Gabrielle Teco é Líder de RH & Marketing na Acesso Digital, formada em Comunicação Social pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA Marketing pela FIA – FEA/USP.

Compartilhe.