O que o estágio pode ensinar sobre carreira

0

Com exceção daqueles que pretendem seguir carreira acadêmica e buscam o caminho da iniciação científica durante a graduação, quase todo jovem que está na universidade ou em um curso técnico deseja conseguir um estágio. Chegar lá não é fácil. Uma pesquisa realizada em 2015 pela ABRES (Associação Brasileira de Estágios) mostra que menos de 6% dos estudantes de nível técnico e superior conseguem um estágio. Isso acontece porque o número de vagas disponíveis ainda é muito inferior à demanda.

Mais do que uma oportunidade de inserção no mercado, o estágio permite ao jovem experimentar, ainda na fase de formação, a realidade do trabalho na área escolhida. Alexandre Takano, 25, formou-se em Ciências Ambientais e atua hoje como consultor na área. Ele conta que nas duas experiências de estágio que viveu – a primeira em uma empresa de gestão de efluentes e a segunda na área de sustentabilidade de uma grande empresa– ganhou habilidades que o ambiente universitário não consegue proporcionar sozinho. “Estágios são oportunidades para entrar no mercado mais preparado, mais experiente e com autoconhecimento maior em suas facilidades de adaptação nos mais diversos ambientes e desafios”, diz.

O complemento à formação acadêmica pode ir além da possibilidade de aplicar na prática o que se aprende na faculdade. Marcela Fonseca, 24, analista de mídias sociais e recém-formada em Relações Públicas, conta que o estágio de dois anos em uma indústria de materiais de construção foi muito importante para seu desenvolvimento pessoal. “Foi durante o estágio que aprendi a me relacionar e entender a importância do networking. Aprendi a priorizar tarefas e distribuir melhor meu tempo de trabalho, a me organizar melhor em geral”, conta. “Foi o ponto da virada do me amadurecimento. Hoje sou uma pessoa muito mais focada e responsável, além de mais confiante”.

Viver a realidade da profissão escolhida pode frustrar alguns e direcionar mudanças de rota, o que é preferível acontecer antes de uma graduação estar completa. No entanto, a experiência pode também mostrar diferentes possibilidades de atuação dentro de uma formação, muitas vezes desconhecidas. “Tive a oportunidade de explorar as diversas facetas que as relações-públicas oferecem”, conta Helena Fagundes, 24, recém-formada em Relações Públicas. Durante o estágio em uma indústria de materiais de construção, ela atuou principalmente na área de comunicação com funcionários, mas também trabalhou em projetos ligados à comunicação externa e branding. “Para mim, foi uma experiência que só confirmou que tomei a decisão certa quando escolhi o que estudar”, diz.

Alexandre e Helena destacam que ter um bom chefe nessa fase inicial da carreira é um presente. “Idealmente, o estagiário deverá ter um acompanhamento constante do gestor”, diz Alexandre. No entanto, eles reforçam que a iniciativa do estagiário para buscar feedbacks, trabalhar em pontos de melhoria e se mostrar disponível para oportunidades de aprendizado é que fazem a diferença.  “A partir da minha experiência, posso dizer que considero o estágio um preparo essencial para alavancar o início de carreira de qualquer profissional”, diz Alexandre.

Veja também: Itaú Unibanco abre inscrições para programas de estágio

Para demandas de imprensa, entre em contato com imprensa@lovemondays.com.br

Compartilhe.