Erros de gestão fazem empresas perderem grandes talentos

0

Por Finanças Femininas

Você finalmente conquistou aquela vaga que tanto queria e está cheio de motivação, afinal, é uma nova oportunidade, novos desafios, a chance de crescer e mostrar todo o seu potencial. É exatamente neste momento, em que as empresas deveriam aproveitar o entusiasmo dos funcionários, que os gestores cometem erros que geram desmotivação na equipe.

“O funcionário entra com o nível de motivação lá em cima. Um dos erros dos gestores é não cuidar dessa motivação”, explica o professor da IBE-FGV e especialista em Gestão de Pessoas, Liderança e Coaching Executivo, Vagner Sandoval. Tal motivação geralmente existe porque a pessoa estava desempregada ou então vai receber um salário maior. Mas há muitas outras razões – como um novo emprego no qual o funcionário espera ter mais oportunidades de crescimento ou um ambiente de trabalho melhor.

Determinadas atitudes dos gestores levam os funcionários a se decepcionarem. Sandoval cita como exemplo chefes que não cumprimentam os funcionários como deveriam, não reconhecem o trabalho e não cumprem o combinado quanto a aumentos futuros de salário. Falta de feedback também é algo que gera desmotivação. “O funcionário leva alguma demanda e o gestor não dá o feedback”, disse Sandoval.

As empresas e os gestores precisam estar atentos às demandas e necessidades dos empregados e saber aproveitar o nível elevado de motivação que trazem no início de um novo emprego. Coisas simples como dizer “bom dia” e saber valorizar o trabalho de cada um faz toda a diferença. Mas tais atitudes devem estar presentes o tempo todo, não apenas quando os funcionários entram nas empresas. Do contrário, reter talentos e extrair o melhor das pessoas fica mais difícil.

A insatisfação com uma gestão mal feita e despreparada aumenta o risco de as empresas perderem não apenas bons empregados, mas também aqueles com talento acima da média, que geralmente percebem as falhas com mais facilidade. De acordo com Sandoval, pessoas assim geralmente são aquelas que estudam, se dedicam e absorvem muito conhecimento. “Elas tendem a avaliar o que o gestor está fazendo, têm uma visão do processo. Elas percebem, por exemplo: ‘ele é diretor e não sabe isso, não sabe aquilo’”.

Neste período de crise enfrentado pelo Brasil, em que o medo do desemprego é mais um fator de estresse e que costuma gerar especulações nas empresas, é fundamental que os gestores tenham cuidado ao lidar com as equipes. “Há um fator primordial, que é a transparência. É o ponto principal. Se a empresa for transparente, o funcionário pode se engajar mais”, afirmou Sandoval. Segundo ele, se a empresa não está indo bem, por exemplo, deve informar isso. Outro fator essencial é que haja muita comunicação, segundo Sandoval.

E como estimular e motivar a equipe neste período de crise? De acordo com ele, uma das possibilidades é mostrar que existe a capacidade de se atravessar “essa tempestade” e o emprego do funcionário ser mantido. “Tentar usar a criatividade das pessoas, mostrando a elas que podem atravessar a tempestade e manter todos no barco. Pedir o melhor dos funcionários. ‘O que você vai dar a mais para atravessarmos essa tempestade ?’”, afirmou.

Quando as pessoas se sentem frustradas com seus chefes, muitas vezes tentam mudar de área dentro da mesma empresa ou buscam emprego em outro lugar. Porém, se o funcionário é aberto a mudanças e acredita que o gestor também é, uma conversa pode valer a pena. De qualquer forma, Sandoval alerta: “O melhor jeito é falar diretamente com o gestor, e não com o RH nem com o gestor do gestor.”

E se você é gestora, é importante avaliar seu comportamento e verificar se há pontos que precisam ser corrigidos ou aperfeiçoados. Com uma boa liderança, a equipe se sente encorajada a dar o melhor de si. Se você é gestora e quer se aprimorar e se desenvolver, deve se atualizar com treinamentos, investir na atualização técnica. Outro fator importante é estimular sua equipe, clientes e fornecedores a lhe darem feedbacks. “O importante é estar sempre escutando o que o outro acha a meu respeito”, disse Sandoval.

Compartilhe.