Entrevistas com James Allen: Qualidade de Vida

0

Esta é a primeira de uma série de três entrevistas com James Allen, sócio e diretor de inteligência do Sustainability LAB. Aqui falamos de qualidade de vida e como equilibrar a vida pessoal e profissional.

Por que hoje esse assunto de qualidade de vida é tão relevante?

Geralmente a preocupação com a qualidade de vida inicia com o autoquestionamento: Será que a vida é só isso?

O sentimento da falta de um propósito começa a permear a vida da pessoa e assim ela passa a pensar sobre qual é o seu propósito na vida. A descoberta do seu propósito pode vir de várias maneiras: através da meditação, de conversas com outras pessoas, de mentorias etc. Uma vez que a pessoa descobre o seu propósito, ela passa a querer alinhar o seu trabalho a este propósito. O problema é que ainda são poucas as empresas que se deram conta disso. Muitas empresas ainda têm um discurso de propósito e sustentabilidade, mas na prática a realidade é outra. Isso frustra o profissional que  busca realizar o seu propósito de vida também no seu trabalho.

Você acredita na separação entre vida pessoal e profissional?

O autor David White fala do conceito de três casamentos: um casamento com o nosso trabalho, um com o nosso lazer e o terceiro com o nosso parceiro. Precisamos repensar a forma sobre como se relacionar com esses três casamentos e  fortalecer as relações também nas outras áreas. Todas as áreas da nossa vida estão interconectadas, então se você fortalecer uma delas, as outras se beneficiarão, e isso gera um círculo virtuoso. Por fim, fortalecer a relação com a gente mesmo também é muito importante e fortalece esses outros três casamentos de que o autor fala.

Outra questão legal de levantar é: você é a mesma pessoa no trabalho e em casa? Se não é, isso te incomoda? Algumas pessoas gostam dessa separação, mas para outras isso traz frustração. Antes era mais simples separar completamente a vida pessoal da profissional: você trabalhava das 9h às 18h e, depois desse horário, se dedicava à família. Hoje se precisa fazer um malabarismo. Com a flexibilidade de horário, tecnologia e home office, a vida em família e no trabalho fica muito mais misturada e aí você precisa achar o seu equilíbrio.

A tecnologia ajuda ou atrapalha na busca pelo equilíbrio?

A tecnologia pode ajudar bastante, mas a gente precisa ser muito disciplinado e criar algumas regras claras de como e quando usar a tecnologia. Cada profissional deve estabelecer regras que façam sentido para a sua área de atuação e o seu cargo. Minhas regras pessoas, por exemplo, são de não acessar e-mails no fim de semana, na verdade tirei e-mails do meu telefone, para o meu trabalho verificar e-mails uma vez por dia já é o suficiente. Almoço com os meus filhos quase todos os dias, consigo buscar eles na escola. Claro que isso depende do setor e da sua área de atuação, às vezes você pode fazer essas escolhas, mas para muita gente isso ainda é utópico. Acho que a tecnologia pode ajudar bastante, mas ainda para a maioria das pessoas ela acaba gerando mais estresse e mais demandas.

Aqui você pode conferir a parte 2 e a parte 3 dessa entrevista.

James Allen é pai, tradutor, gestor de projetos socioambientais e facilitador. Ele mora em São Paulo desde 2005 e é sócio-fundador da consultoria em sustentabilidade, LAB (www.olab.com.br). Desde 2014 é professor da The School of Life, em São Paulo e no Rio.

 

Compartilhe.