Entre 16 povos, brasileiros são os mais propensos a aceitar uma contraproposta. Será que isso é bom?

0
Quase todo profissional já passou por aquela situação chata de precisar informar ao chefe que está saindo da empresa porque lhe ofereceram uma proposta de emprego melhor. Mas e se, surpreendentemente, seu chefe resolver lhe oferecer uma contraproposta? Uma pesquisa conduzida pela consultoria de recrutamento Robert Half mostra que, entre 16 povos, os brasileiros são os mais propensos a aceitar a contraproposta e permanecer na atual empresa. Cerca de 24% das companhias em operação no país afirmam que é muito comum que os profissionais retrocedam da decisão de sair quando recebem uma contraproposta. 
Apesar da tentação de salário e condições de trabalho melhores, será que isso é bom para a sua carreira? Grande parte dos especialistas diz que não, pois mostra uma visão imatura de uma pessoa que talvez se valha apenas de uma visão a curto prazo, mantendo-se em uma zona de conforto. Só vale a pena continuar se o plano de carreira do profissional tiver sentido naquela empresa. O problema são os riscos que este tipo de decisão pode trazer para a sua reputação e até para as suas emoções no médio prazo.

Nesse momento de decisão, pondere os seguintes pontos:

Por que você queria sair?

Se você pensou em deixar sua atual empresa apenas por uma questão de expectativa financeira, aceitar a contraproposta faz sentido. Se esse não era o motivo, ficar na mesma companhia pode significar mais frustração no médio prazo. Afinal, mais dinheiro no bolso não significa menos tédio, um chefe mais simpático ou um trabalho que renda brilho nos olhos.

Quais são as intenções da empresa?

Se a empresa não te valorizou antes, por que te valorizar apenas quando está de saída? Isso pode significar que ela também não te dará valor no futuro. Aqui, vale avaliar qual é o plano de carreira real oferecido pela empresa atual e quais as suas chances no médio e longo prazo.

Não se leiloe.

Se você aceitar a contraproposta, não discuta novamente esse assunto com a outra empresa. Se o profissional utiliza o pedido de demissão como uma chantagem emocional para a empresa, está correndo risco, inclusive de ficar desmotivado logo em seguida, pois o mercado saberá dessa atitude. É preciso muita gentileza e seriedade ao informar que sua decisão de trocar de empresa foi revogada.

Seguindo esse raciocínio fica mais fácil entender por que você deve ou não sair da empresa e seu real valor no mercado. Boa sorte!

Compartilhe.