4 empresas com culturas incríveis compartilham boas práticas

0

Cultura organizacional é algo que existe no código genético de qualquer empresa. Dia após dia, as equipes de RH investem em iniciativas que reforçam a identidade de uma companhia, já que quando o assunto é marca empregadora, os funcionários são os principais disseminadores. Não é surpresa, então, que a maioria das organizações que conversou com a gente sobre o tema usou o termo DNA.

Veja o que empresas bem avaliadas no quesito cultura da empresa contam:

O ADM Way – nota 4,26 no quesito cultura da empresa

Na ADM, uma das maiores empresas de agronegócios do mundo, é o ADM Way – algo como “o jeito ADM” – que norteia a cultura da organização.  São diretrizes e regras que dão o tom ao trabalho e a conduta dos funcionários em suas atividades na empresa. Integridade, respeito, excelência, engenhosidade, trabalho em equipe e responsabilidade são os valores primordiais do ADM Way.

“Nossos funcionários percebem e vivenciam tais valores de forma consistente e em todos os níveis, com profunda e genuína consideração pela segurança e bem-estar dos colegas, das comunidades e do meio ambiente”, diz Luciano Botelho, presidente da divisão de oleaginosas da ADM na América do Sul. Deste modo, ele acrescenta, constroem-se os pilares que vão assegurar à ADM alcançar suas metas.

“O ADM Way explica quem somos e o que fazemos como empresa. Também norteia o que
buscamos ser no futuro e o que deve ser feito para chegarmos lá, criando um entendimento comum para toda a companhia”, explica Botelho. Mas, a importância vai além. “O programa estabelece os fundamentos da governança que orientam o relacionamento transparente e ético entre os colaboradores e deles com os diversos stakeholders da ADM – produtores, clientes, investidores e também com toda a sociedade das localidades onde estamos presentes”.

O DNA do Meli – nota 4,15 no quesito cultura da empresa

Meli é o apelido carinhoso pelo qual os funcionários chamam o Mercado livre. E o DNA Meli é a base da cultura da empresa.

“Nosso DNA está marcado pelo empreendedorismo, por assumir riscos, excelência, melhoria contínua, horizontalidade e proximidade. Tudo isso tem relação com nossa história e com a criação de um entorno com a filosofia de startup”, diz Helen Menezes, Head de RH do Mercado Livre no Brasil.

Os líderes têm um papel essencial na disseminação dos valores do Mercado Livre. “Temos um programa de formação em que aprofundamos o entendimento sobre nossos elementos culturais, estimulamos o autoconhecimento e incentivamos o desenvolvimento de cada um dos participantes, buscando um alinhamento cada vez maior ao DNA Meli”, diz Helen. “Junto aos funcionários, disseminamos nossos princípios culturais pela comunicação no dia a dia, por meio dos gestores e nas diferentes interações que eles têm na empresa”.

Helen conta que a adoção do Workplace, ferramenta do Facebook para comunicação interna em empresas, foi uma forma de potencializar a cultura organizacional internamente, reforçando a comunicação de todos para todos e permitindo ao máximo a experiência de trabalho digital pelos pilares da interação, trabalho em equipe, co-criação, conhecimento compartilhado e inteligência coletiva.

Outra iniciativa importante de reforço da cultura foi a construção da Melicidade, a nova sede da empresa em Osasco-SP. “É um símbolo que reflete nossa cultura, permite potencializar o trabalho colaborativo e gerar as condições para sustentar nosso crescimento em uma escala maior”.

Helen reforça que cultura é muito mais do que ter um lugar inspirador e agradável para trabalhar. “Estamos convencidos que a felicidade no trabalho não tem relação somente com um espaço físico. Acreditamos que a cultura, o clima e o engajamento se constroem pelo trabalho dos gestores próximos e que cuidam de suas equipes”.

Na Netshoes, DNA digital e operacional – nota 3,58 no quesito cultura da empresa

Na Netshoes, a jornada do colaborador desde sua seleção é pensada para fazer a diferença na vida profissional e pessoal e, claro, para trazer resultados para o negócio. “Após o lançamento do projeto de Cultura em 2015, em que revisamos nossa missão, visão e valores, temos feito um trabalho consistente para reforçar cada um dos valores definidos na época. O projeto teve como principal premissa preservar e promover uma identidade única do grupo – o que nos trouxe até aqui e o que nos levará adiante – e reforçar sua cultura”, diz Sergio Povoa, diretor de Recursos Humanos da Netshoes.

Com o objetivo de reforçar os valores no dia a dia dos colaboradores, eles são utilizados nas comunicações, nas ambientações e cartas dos executivos da companhia, além de reforçados nas trocas de e-mail entre colaboradores, muitas vezes também por meio das suas hashtags, que combinam com o estilo e DNA digital da Netshoes.

Para aumentar ainda mais essa conexão, recentemente a companhia reformulou seus canais de comunicação interna adotando também o Workplace by Facebook, como forma de tornar cada colaborador um comunicador, estimular a participação da liderança e disseminar a cultura da companhia. Outra estratégia foi instalar TVs corporativas em todas as unidades que propagam, em tempo real, notícias e fotos dos colaboradores, possibilitando que todos se enxerguem e façam parte ainda mais do dia a dia da empresa. “Estamos conectados, mais próximos e com a comunicação entre nós mais veloz, verdadeiramente #RapidoComoUmClick. O nosso CEO faz transmissões ao vivo e alcança toda a operação do Brasil, México e Argentina de uma só vez”, completa Povoa.  

Além do DNA digital da empresa entre os funcionários, a empresa mantém um calendário de endomarketing e datas comemorativas que reforçam o clima descontraído e, assim, todos os níveis da organização também são estimulados a se aproximar do dia a dia do negócio. Desde 2014, por exemplo, durante a Black Friday – que na Netshoes é “Black November” já que a data perdura todo o mês -, os funcionários das áreas administrativas podem vivenciar a rotina das operações de call center e centros de distribuição em um momento de alta demanda. “Além de oferecer a vivência da operação do nosso negócio em um momento crucial, a ação apoiou o atendimento à alta demanda sazonal, garantindo a manutenção da nossa excelência operacional no período”, conta Povoa.

Itaú Unibanco e o “Nosso Jeito” – nota 3,82 no quesito cultura da empresa

A cultura é um dos traços mais fortes da personalidade da empresa. “Cultura é a nossa identidade. Seja por meio de campanhas específicas em canais de comunicação, eventos internos ou projetos da equipe de RH que impactam o dia a dia dos funcionários (pesquisas de clima, modelos de incentivo, feedbacks), ao longo dos anos, o Itaú deu início a alguns programas que se destacam.

Um deles é o Encontro Entre Líderes. Um evento anual em que o presidente-executivo, Candido Bracher, e os presidentes do Conselho de Administração, Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles, apresentam os resultados alcançados e as principais diretrizes e estratégias desenhadas para a organização a curto, médio e longo prazo. O evento acontece desde 2010, constituindo a principal forma de manter toda a liderança alinhada à estratégia do Itaú em um mercado cada vez mais exigente. Ao final do evento, as lideranças têm a missão de repassar as mensagens para suas equipes, reforçando assim a cultura do empresa.

Em 15 de setembro 2015, na sexta edição do Encontro entre Líderes, o Itaú reuniu cerca de 11 mil gestores do Brasil e das unidades internacionais. O tema central do Encontro foi “A evolução da Nossa Cultura, o Nosso Jeito.”  A oitava edição do Encontro, em 2017, reuniu cerca de 14 mil gestores do Brasil e das unidades internacionais.

Outra iniciativa é o Portas Abertas. Desde 2010, o programa promove reuniões entre os colaboradores do Itaú, o presidente-executivo e os presidentes do Conselho de Administração para discutir temas institucionais ou sobre as unidades de negócios. As reuniões também são um veículo para a disseminação da cultura do Itaú. Em 2016, foram realizadas seis reuniões com a participação de colaboradores das mais diversas áreas e níveis hierárquicos da companhia. Além do programa corporativo, a prática do programa Portas Abertas é realizada por diretores e superintendentes em diversas áreas, sempre com o apoio da consultoria de cada departamento.

Já o Prêmio Walther Moreira Salles foi criado para valorizar ideias e práticas que se destacam. Desde 2000, o Itaú reconhece grandes ideias de profissionais que fazem a diferença. Os vencedores do Prêmio são prestigiados em um grande evento na Sala São Paulo, na capital paulista. Cada premiado recebe um troféu e ações do Itaú Unibanco são distribuídas igualmente entre os vencedores. Desde 2000, a empresa já teve 6.364 casos inscritos, 509 colaboradores premiados, 1.609 casos finalistas e 80 casos vencedores.

Leia também: como promover a cultura da empresa no processo de contratação

Compartilhe.