O desafio do primeiro emprego: como superar essa fase turbulenta

0

“A juventude é um disparate; a idade adulta, uma batalha; a velhice, uma saudade.” Essa frase, dita por Benjamin Disraeli, político, escritor, aristocrata e Primeiro-Ministro do Reino Unido, reflete bem as três principais fases da vida, marcadas pelo descobrimento e pela ousadia, depois pela responsabilidade e, na sequência, pelo recolhimento e saudação às lembranças da vida jovem e adulta. Esse processo, natural na vida de todas as pessoas, começa um tanto quanto turbulento, quando chega a hora de procurar o primeiro emprego.

Um jovem que acabou de concluir o Ensino Médio e vai ingressar na faculdade já tem diversas aptidões e conhecimentos adquiridos, porém não é um profissional formado, tanto intelectualmente quanto em termos de comportamento, o que faz com que esse profissional iniciante tenha dificuldades para competir com outras pessoas na busca por uma vaga de emprego, seja para ampliar seus conhecimentos ou até mesmo para ajudar a pagar as despesas com a faculdade.

Segundo uma retrospectiva do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que reuniu informações de mais de dez anos, o percentual de jovens empregados entre 16 e 24 anos cresceu, porém, metade deles ainda está desempregada. No Brasil, a taxa de desemprego entre os jovens de 15 a 24 anos é superior à média registrada na América Latina.

Angústia, ansiedade, rejeição e busca incessante são alguns termos presentes na rotina de um jovem que está buscando seu primeiro emprego. Você envia centenas de e-mails, faz cadastros em diversos sites e manda currículos para muitas vagas, mas parece que nunca se adequa àquela oportunidade, seja pela falta de experiência, por não dominar outro idioma, por não ter cursos adicionais ou por muitos outros aspectos.

Diante do alto nível de exigência das empresas e da presença de profissionais altamente qualificados no mercado, o jovem quase sempre fica em desvantagem quando o assunto é “processo seletivo”. Isso porque fica quase impossível para uma pessoa que acabou de concluir o Ensino Médio disputar uma vaga com profissionais com anos de experiência e que falam duas ou três línguas fluentemente. Segundo o IBGE, o percentual da População em Idade Ativa (PIA) com 11 anos ou mais de estudo passou de 46,7% para 63,8%, aumentando ainda mais o nível de qualificação dos profissionais.

A questão comportamental é outro ponto que costuma pesar muito em um processo seletivo. Isso porque grande parte dos jovens é muito ingênua em questões importantes para as empresas e, por isso, geralmente, se saem mal em entrevistas. É de extrema importância para o recrutador identificar valores e comportamentos desse futuro profissional e analisar se eles têm a ver com os princípios e valores da empresa e, se o jovem ainda está em dúvida em relação a seus pontos fortes e características, essa resposta poderá ser um pouco confusa.

O fato é que empregadores precisam investir recursos significantes para treinar novos profissionais e, se essa pessoa não se adaptar à vaga e resolver sair, todos esses recursos se perderam. O desafio, aqui, é se mostrar vantajoso para uma companhia mesmo tendo pouca experiência e gerando gastos que um profissional já com uma trajetória não geraria. O Love Mondays sabe como é difícil para os jovens se inserirem num mercado de trabalho cada vez mais disputado e, por isso, lista algumas dicas para que você tire esse problema de letra e comece a sua carreira com o pé direito!  Acompanhe:

– Ao iniciar a sua carreira é preciso ter em mente que isso é um processo de construção e é necessário galgar alguns degraus. Não fuja se a primeira oportunidade não for o “emprego dos seus sonhos”;

– Aprimore seus conhecimentos em outra língua, especialmente o inglês, que é requisito básico para trabalhar em grande parte das empresas;

– Demonstre pró-atividade, determinação e vontade de aprender em uma entrevista. Mostre que você está disposto e agarrar essa oportunidade e encarar os desafios que vierem com ela.

O primeiro emprego pode parecer um “bicho papão” na vida de um jovem, mas, ao adotar uma postura humilde e receptiva para aprender, ser desafiado e evoluir, você aumenta as chances de conquistar essa chance e dar o passo inicial para uma carreia brilhante. Mantenha-se confiante e mãos à obra!

Compartilhe.