Veja os erros de português mais comuns e descubra como evitá-los!

0

Comunicar-se bem é fundamental em qualquer profissão, afinal, um simples pedido de trabalho, um e-mail para o cliente ou um briefing detalhado de um projeto precisam ser bem escritos para que não surjam dúvidas ou interpretações errôneas a respeito do que deve ser executado. No mundo corporativo, é muito comum encontrar erros graves de português nos e-mails dos profissionais, que podem ser desde assistentes até diretores.

É fundamental dominar a norma culta da língua portuguesa para refletir uma boa imagem da companhia e do profissional em si, que, escrevendo bem, passa credibilidade, segurança e conhecimento. Atualmente, um dos maiores problemas enfrentados pelos profissionais atualmente é que a maioria lê pouco e, por isso, escreve de forma mecânica, esquecendo a pontuação, a grafia correta, a regência ideal, etc.

Para evitar que você ou algum companheiro de trabalho cometam erros de português em e-mails ou em documentos da empresa, listamos, a seguir, os equívocos mais recorrentes e como evitá-los. Confira!

  1. Em anexo/Anexo

Você certamente já recebeu ou até mesmo mandou diversos e-mails com os dizeres “em anexo”, o que viola completamente os padrões da norma culta. Como “anexo” é um adjetivo, ele deve concordar em gênero e número com o substantivo ao qual se refere. A preposição “em” é inadequada, aqui.

Exemplos: “seguem anexos os documentos solicitados”. (Documentos no plural, anexos no plural)

“Anexo, segue o documento solicitado”. (Substantivo no singular, anexo também no singular)

  1. Ao invés de

O termo “ao invés de” deve ser substituído por “em vez de”, como na frase “em vez de irmos viajar, ficamos em casa”. “Ao invés” deve ser utilizado apenas no sentido de oposição, como na frase “subi, ao invés de descer”.

  1. Esquecer de

O verbo “esquecer” só pode ser utilizado com a preposição de – ou flexões da, do – quando vier acompanhado de pronome oblíquo (me, te, se, nos, vos), portanto, dizer “esqueci da reunião” está errado. O correto é “esqueci-me da reunião” ou, ainda, “esqueci a reunião”, sem preposição.

  1. Fazem no sentido de tempo

Está incorreto afirmar “fazem dois anos que trabalho aqui” pois, no sentido de tempo decorrido, esse verbo é impessoal, ou seja, só pode ser utilizado no singular. “Faz dois anos que trabalho aqui” é o exemplo correto.

  1. Através

É comum encontrar materiais em que se empregada de forma equivocada a expressão “através de” como no exemplo “o diretor sugeriu que, através dos benefícios concedidos, os colaboradores sejam recompensados”. Nesse caso, o correto seria utilizar a expressão “por meio de”, que significa “por intermédio”.

Através deve ser utilizado quando houver o sentido de atravessar: “olhava através de janela.”

  1. Ao meu ver

O exemplo “ao meu ver, o discurso foi patético” é incorreto, pois a expressão “ao meu ver” não existe. O correto seria “a meu ver”.

  1. Senão/Se não

“Senão” significa “a não ser”, ao passo que “se não” tem o sentido de condição.

Exemplos: “o presidente nada fazia senão reclamar”

“Se não chover, vamos ao evento”

  1. Onde/Aonde

Essas expressões geram muitas dúvidas nas pessoas e geralmente são empregadas de forma equivocada. “Onde” se refere a um lugar em que algo ou alguém está. “Aonde” indica movimento, ou seja, alguém ou algo indo para um lugar.

“Onde coloquei o documento?”

“Aonde vamos almoçar hoje?”

  1. Há/A

Se você deseja indicar um tempo transcorrido, o correto é utilizado o verbo “haver”. Exemplo: “trabalho na empresa há 12 anos.” Aqui, vale também destacar que colocar “há” e “atrás” em uma frase é incorreto. “Conheci o presidente da empresa há cinco semanas atrás” mostra uma redundância, já que, se o fato é passado, é óbvio que foram semanas atrás. O correto seria “conheci o presidente da empresa há cinco semanas.”

Se a sua intenção é falar do futuro ou de uma distância, o correto é utilizar o “a”. Exemplo: “tenho uma viagem importante daqui a duas semanas”; “Ele mora a cinco minutos daqui.”

  1. A fim/Afim

“A fim” indica ideia de finalidade, ao passo que “afim” é um adjetivo e significa semelhança. Exemplos:

“Viemos a fim de discutir o projeto”

“Eu e Marcela temos ideias afins”

  1. Tem/Têm

O termo “tem” refere-se à terceira pessoa do singular do verbo “ter”, ao passo que “têm” indica a terceira pessoa do plural. Exemplos:

“Eles têm se dedicado muito à empresa”

“Ela tem muitas qualidades”

  1. Final/Fim de semana

Já recebeu algum e-mail em que estava escrito “bom final de semana”? Pois essa construção está errada, já que fim é contrário de início e final é contrário de inicial. Não faria sentido escrever “bom inicial de semana”, né? Então, adote sempre o “bom fim de semana”.

  1. Assistir o/Assistir ao

O verbo “assistir”, no sentido de “ver”, exige preposição, ao passo que o verbo “assistir”, quando significa cuidar, não pede preposição. Exemplos:

“Assisti à palestra do especialista”

“Assisti os estagiários em seu treinamento”

  1. Meia/Meio

Quando significa “um pouco”, a palavra “meio” é invariável e, por isso, não se flexiona. Exemplo: “ela está meio triste”; “as apresentações foram meio confusas”

Se tiver o sentido de numeral, a palavra “meio” concorda com o substantivo. “Ele comeu meia refeição.”

  1. Meio-dia e meia

Nesse caso, o número fracionário concorda em gênero com a palavra “hora”, então é totalmente errado dizer “o almoço tem início ao meio-dia e meio”. O correto é afirmar “o almoço tem início ao meio-dia e meia.”

Compartilhe.