6 coisas que você nunca deve dizer em uma negociação de salário

0

Você está 96% certo de que está preparado para agendar uma reunião com o seu chefe para pedir um aumento ou está perto de finalizar um processo seletivo e a oferta de emprego já está à vista? Se você é uma pessoa normal, provavelmente já disse o que não deveria em algum momento e, em uma situação como essa, os seus pensamentos ficam todos concentrados em não estragar tudo. Mesmo.

Não importa quantas vezes você tenha repassado o que pretende dizer na hora de negociar um salário: sempre existe um risco da situação não seguir o roteiro ideal. Então, ao invés de entrar em pânico, é melhor se preparar – de verdade.

Josh Doody, autor do livro “Fearless Salary Negotiation” (Negociação de Salário Sem Medo, em tradução livre) tem uma dica: “uma negociação de salário é uma colaboração e um ingrediente chave para uma colaboração bem-sucedida é uma boa comunicação”, diz Doody. “É importante ser bem claro sobre o que quer comunicar para evitar ambiguidade, o que pode complicar as coisas e atrasar o processo de negociação.”

Ao invés de simplesmente compartilhar o que você deve dizer, conheça os potenciais pontos de perigo que devem ser evitados enquanto você se esforça para conseguir o salário que merece.

Confira 6 coisas que você nunca deve dizer em uma negociação de salário:

  1. “Atualmente”

Uma das perguntas mais prováveis de ouvir em uma negociação é qual o seu salário atual. Fuja da tentação de dizer que “atualmente” ganha X.  “Eu chamo isso de ‘a temida pergunta do salário’ e essa é uma pegadinha, porque geralmente surge antes do processo seletivo e a maior parte dos candidatos não pensa nisso como parte de uma negociação salarial, mesmo que seja”, diz Doody. “Responder a essa pergunta com números explícitos pode dificultar uma negociação posterior porque isso acaba deixando o candidato preso em uma caixa. Uma vez que os candidatos divulgam o seu salário atual e sua expectativa, a oferta dificilmente será muito acima do valor atual”, completa.

  1. “Desejado”

Se possível, não revele o seu salário atual ou desejado. “Uma forma de fugir dos números é recorrer aos benefícios como compensação”, diz Doody. “Se o plano de saúde, bônus, ou outros itens do pacote de benefícios não forem interessantes, o candidato pode usar isso como um motivo para pedir um salário maior.”

  1. “Desculpa”

De acordo com Doody, “negociar um salário é desconfortável e a nossa tendência natural é tentar suavizar uma conversa delicada. Pedir desculpas pode ser um sinal para o recrutador de que você talvez esteja propenso a voltar atrás e isso pode te custar caro. Não se desculpe em uma negociação.”

  1. “Não” ou palavras negativas

Você quer continuar evoluindo em uma negociação salarial e você fará isso evitando palavras negativas e focando nas positivas. Ao invés de “Não, isso não funciona para mim”, você pode dizer “Eu me sinto mais confortável dessa forma”. Palavras negativas podem construir muros ao redor do processo de colaboração. Usar apenas palavras positivas pode ser difícil no começo, mas você pode melhorar com um pouco de prática.

  1. “Mais”

Embora essa palavra pareça natural por você estar negociando para conseguir mais, ela também é muito genérica para uma negociação salarial. Ao invés de pedir por mais dinheiro ou mais benefícios, esse é o seu momento de ser mais específico. Não deixe valores no ar. Ao invés de “Vocês poderiam aumentar o valor da remuneração?”, diga “A minha expectativa salarial é algo em torno de X.”

  1. “Eu quero” ou “eu preciso”

Por fim, a palavra “quero” ou “preciso” pode por um fim à negociação. Mergulhe em uma negociação com fatos, mostrando uma situação. Você pode começar pesquisando no nosso site a média salarial para o seu cargo e saber quanto o mercado está disposto a pagar. “Foque nas necessidades da empresa e como você pode ajudar a alcançá-las para que a equipe veja facilmente o seu valor e trabalhe para te compensar por isso.”

Este artigo foi inspirado em 9 Things to Never Say in a Salary Negotiation

Leia também: salários de analistas em 20 áreas e 8 palavras para nunca incluir no currículo

Compartilhe.