6 conselhos de carreira que você deveria ignorar

0

Você pode até ser grato pela boa vontade de colegas que tentam te ajudar em decisões de carreira, mas é importante diferenciar os conselhos que podem ser seguidos daqueles que devem ser ignorados.

Para te ajudar a fazer esse filtro, listamos 6 conselhos do tipo que merece ser ignorado. Fique de olho aberto!

Mas antes, como reconhecer bons conselhos?

Bons conselhos profissionais são dados por pessoas que conhecem a realidade de sua carreira, seu estilo de trabalho e qual caminho você quer trilhar no mercado. É esse tipo de proximidade que permite que alguém leia seu contexto para sugerir ou ajudar em decisões delicadas.

Para ser classificado como um bom conselho, também é preciso que exista um mínimo de embasamento, mesmo que seja empírico. Tome cuidado também com opiniões que parecem superficiais e não fazem o menor sentido para sua carreira.

1. “Foque apenas naquilo em que você é melhor”

O mercado não busca profissionais engessados: você deve ser flexível e saber lidar com diferentes atividades que envolvem sua profissão. Mesmo que seja especializado em um determinado assunto, é preciso ter uma visão global do negócio da empresa e buscar ser multidisciplinar.

Uma boa forma de praticar esse conhecimento é observando e aprendendo com seus colegas de equipe. Fora que, além do contexto apresentado anteriormente, ser um profissional multidisciplinar, com uma visão generalista, fará com que você seja apto a ocupar cargos de liderança em uma empresa.

Veja quais são as 5 habilidades dos profissionais do futuro.

2. “Minta no currículo e na entrevista… Eles nunca saberão”

Cuidado: esse é um dos piores erros que você pode cometer em sua carreira!

Não pense que o recrutador não irá descobrir se você exagerou em alguma informação no seu currículo ou simplesmente inventou uma experiência que não teve: grande parte das vagas preenchidas hoje passam por uma rigorosa verificação. Redes sociais profissionais serão checadas e gestores de empresas envolvidas na mentira também podem receber uma ligação para que o contratante entenda um pouco melhor sobre aquele candidato.

Mentir sobre algo que você não sabe fazer pode ser pior ainda. O exemplo mais comum envolve proficiência em línguas estrangeiras, principalmente sobre o espanhol e o inglês. Tenha em mente que você pode ser testado durante o processo seletivo. Outro possível cenário é acabar sendo contratado pela empresa, mas logo ser demitido quando toda a verdade vier à tona.

Descubra como impressionar o recrutador em uma entrevista.

3. “Faça um currículo longo e beeeem detalhado”

Como já mostramos neste link, seu currículo deve conter apenas informações que sejam pertinentes para a vaga e empresa em que você está se candidatando, alinhado com aquilo que se espera do CV de um profissional de seu setor.

Seu currículo sempre deve estar seguindo os princípios de clareza e objetividade. Se não há muito o que contar para o recrutador, não se esforce para aumentar coisas ou se estender excessivamente nas informações fornecidas. Uma prévia de um currículo dura aproximadamente 30 segundos, o suficiente para se saber se você deve ser mantido ou descartado de um processo seletivo.

4. “Cuidado para não parecer qualificado demais, ou não vão contratar você”

Existe um grande mito dentro do mercado profissional que consiste, basicamente, na crença de que se você é um profissional com uma formação acadêmica elevada, nunca será contratado por ser excessivamente qualificado.

Isso pode até ser utilizado como desculpa por alguns recrutadores na hora de dar um feedback negativo, justificando o motivo pelo qual você não foi contratado.

Mas a verdade é que você não perderá um emprego por ter uma forte instituição no currículo, um mestrado ou outros tipos de pós-graduação. Todo conhecimento adquirido durante sua trajetória profissional deve ser utilizado em seu favor, deixando claro para o mercado qual a sua importância.

5. “Você já está empregado. Pare de atualizar seu currículo, portfólio e redes profissionais”

Nunca se sabe quando uma boa oportunidade de emprego pode surgir (ou um trabalho temporário como freelancer, por exemplo) e é por esse motivo que você deve manter seus documentos profissionais atualizados e disponíveis para o mercado ver.

Assim, atualize seu currículo e suas redes à medida que sua carreira caminha, adicionando projetos realizados, funções exercidas e aprendizados. A construção da sua imagem profissional deve ser feita o tempo todo, não somente enquanto estiver procurando um novo emprego.

6. “Chegue primeiro e saia por último”

Como já comentamos em outro artigo, ficar até tarde no trabalho pode bagunçar sua rotina e atrapalhar sua vida pessoal e, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, não significa um ato de esforço e dedicação.

Seguir esse conselho só mostrará que você não consegue desempenhar seu trabalho em um tempo hábil ou que está abraçando muitas responsabilidades sem conseguir se organizar para encaixá-las em sua rotina.

Existem outras formas de demonstrar seu engajamento para seu chefe, como em conversas de feedback e colocando um pouco mais de energia em seu dia a dia.

Share.