Turnover: Por que as pessoas ficam ou saem da sua empresa?

0

Muitas empresas se perguntam por qual motivo os funcionários trocam seus empregos por posições em outros lugares, aumentando assim o turnover. Essa é uma informação que pode ajudar muito nas métricas de RH. Tendo identificado o que leva as pessoas a tomarem essa decisão, fica mais fácil determinar ações para prevenir a rotatividade.

Uma pergunta que também é muito importante, mas vemos pouca gente fazendo, é: “por que as pessoas ficam na sua empresa?”. Saber essa resposta também pode gerar insights valiosos.

Fizemos as duas perguntas a cerca de 4.500 pessoas que acessam o Love Mondays:

1 – Por que as pessoas deixam a empresa?

Que principal motivo leva você a querer mudar de emprego?
Quero um trabalho mais conectado com meu propósito de vida 29.6%
Pouca oportunidade de crescimento 28.9%
Remuneração abaixo do desejado 24.6%
Liderança insatisfatória 6%
Baixa qualidade de vida 5.8%
O ambiente de trabalho é ruim 5%

 

O propósito (ou, no caso, a falta dele) é o ponto chave para que profissionais deixem as organizações. Na era das startups e millennials, não recebemos esse resultado com surpresa. Apontado como top of mind em pesquisas que preveem o futuro do mercado profissional, ver um sentido no trabalho realizado tem se tornado essencial para as novas gerações.

Vale lembrar que, quando se tem um trabalho forte de Employer Branding na empresa, seu propósito tende a ficar cada vez mais claro e evidente. É o “porquê” de a empresa existir e “para que” as pessoas acordam todos os dias para irem trabalhar – e como você comunica isso com sua marca faz toda a diferença.

2 – Por que as pessoas ficam na empresa?

Que principal motivo leva você a querer continuar no emprego atual?
Boas oportunidades de crescimento 25.1%
Está conectado com meus valores e propósito de vida 18.5%
Boa remuneração e/ou benefícios 18.4%
Bom ambiente de trabalho 15.9%
Acho difícil achar outro emprego 12.2%
Flexibilidade no dia a dia de trabalho 9.9%

 

Boa parte das pessoas que estão felizes no emprego atual sente-se assim porque acredita que tenha chances de crescer naquela empresa. Paradoxalmente, vemos muitas organizações abolindo o “plano de carreira” como existia anos atrás.

Há uma forte tendência em ouvir o profissional, entender seus objetivos e, com ele, desenhar o melhor cenário dentro da organização para evitar frustrações e consequentemente, o turnover. Existem diversas ferramentas que ajudam a identificar perfis comportamentais dos funcionários e também vale apostar em treinamentos – os dois fatores juntos podem dar suporte em decisões de promoções.

Share.